Júpiter Maçã ganha tributo gratuito em Porto Alegre este fim de semana

Flávio Basso morreu no fim do ano passado, aos 47 anos

Redação Publicado em 12/03/2016, às 10h00 - Atualizado às 15h55

O falecido músico gaúcho Júpiter Maçã, ícone do rock psicodélico brasileiro
Divulgação

O ícone da música brasileira Flávio Basso, mais conhecido como Júpiter Maçã, ganhará uma homenagem póstuma no próximo domingo, 13. O músico gaúcho morreu precocemente no último dia 21 de dezembro, aos 47 anos de idade.

O evento acontecerá no Auditório Araújo Vianna, com entrada gratuita (uma pessoa pode retirar até dois ingressos), a partir das 15h. O show integrará o projeto Domingo no Parque e será guiado pela banda Império da Lã – comandada por Carlinhos Vianna –, promovendo performances em homenagem ao Jupiter Apple com diversos convidados.

Entre os artistas que participarão estão nomes conhecidos e antigos colaboradores de Basso. A lista inclui Edgard Scandurra, Wander Wildner, Bidê ou Balde, Clayton Martin (Cidadão Instigado), Marcelo Gross (Cachorro Grande), Identidade, General BoniMores, Rafael Malenotti (Acústicos & Valvulados), Duda Calvin (Tequila Baby), “Cabelo” (Lucas Hanke), Joana Ceccato (Biônica), Silvia Tape e Roberto Panarotto (Repolho).

Sobre Júpiter Maçã

Compositor, vocalista e cineasta, Júpiter Maçã é considerado um dos membros mais proeminentes de uma onda gaúcha que levou para todo o Brasil o som de bandas como Engenheiros do Hawaii e DeFalla. Criativo e fora dos padrões, ele integrou dois grupos do Sul que marcaram o rock nacional: TNT e Os Cascavelletes, ambos dos anos 1980.

Na década seguinte, se lançou em carreira solo, tendo gravado oito discos. O mais importante deles foi o psicodélico A Sétima Efervescência (1996), uma referência do underground, com influências claras de Pink Floyd e alusões ao LSD. O trabalho abrigou faixas memoráveis, sendo “Um Lugar do Caralho” a mais lembrada.

O álbum também entrou para a lista dos 100 Maiores Discos da Música Brasileira da Rolling Stone Brasil. Em 2012, o artista deu um susto nos fãs ao cair do 2º andar do prédio onde morava. Ele fraturou uma costela e o pulso, mas se recuperou bem. O último trabalho lançado por Júpiter foi o DVD Six Colours Frenesi, gravado ao vivo no bar Opinião, em Porto Alegre.