Justin Bieber é vaiado durante premiação Juno Awards, no Canadá

Na mesma noite, Robin Thicke cancelou a apresentação devido a “descanso vocal obrigatório”

Rolling Stone EUA Publicado em 31/03/2014, às 15h53 - Atualizado às 19h05

Galeria - Justin Bieber - 1
Reprodução

Os fãs do pop star canadense Justin Bieber podem tê-lo ajudado a ganhar o troféu Juno Fan Choice Award no Juno Awards, premiação realizada em seu país de origem, o Canadá, mas poucos deles estavam lá para apolá-lo na arena MTS Center, em Winnipeg. Quando o nome do cantor de 20 anos de idade foi anunciado, alguns gritos e audíveis vaias tomaram conta do local, de acordo com o The Hollywood Reporter. Justin Bieber, entretanto, não estava na festa para ouvi-los. Em vez disso, o time olímpico feminino de curling do país tomou para si as vaias, aceitando o troféu quando foi representar o cantor.

Os nove surtos mais chocantes de astros teen

A artista de indie rock Serena Ryder, que ganhou o prêmio de Melhor Compositora do Ano, tentou defender o cantor durante seu discurso. “Eu realmente acho que o Justin Bieber é um grande músico, e ele merece cada pedaço deste prêmio, porque ele vem trabalhando duro durante a vida inteira e nós temos que defender quão bom ele é”, ela disse.

A vida de Bieber tem se tornado uma novela nos últimos tempos. Após a última turnê internacional, no ano passado, onde foi acusado de pichação no Brasil, e vaiado na Argentina, ele começou 2014 com alegações de que ele havia atirado ovos na casa de um vizinho, o que levou a uma busca em sua casa na Califórnia, e à descoberta de drogas no local. Depois ele foi preso em Miami dirigindo sob o efeito do álcool, onde preencheu um documento da polícia com expressões vulgares e agressivas. Desde então, ele se entregou à polícia de Toronto após ser acusado de agredir o motorista de uma limusine.

5 revelações chocantes sobre Justin Bieber que aprendemos com a matéria da Rolling Stone EUA.

Mas o desafeto do público a Bieber não foi a única controvérsia do Juno Awards. Robin Thicke, que havia sido indicado a três prêmios, cancelou sua performance alegando a necessidade de um “descanso vocal obrigatório”, ainda segundo o The Hollywood Reporter.

Os verdadeiros grandes vencedores do Juno Awards foram o Arcade Fire, cujo disco Reflektor ganhou Melhor Álbum Alternativo do Ano, Tegan and Sara, que ganharam na categoria Melhor Música com a faixa de Heartthrob “Closer”, e Bruno Mars, que faturou o título de Melhor Artista Internacional. A Tribe Called Red levou para casa o troféu de Grupo Revelação, Brett Kissell ganhou como Artista e os membros do Bachman-Turner Overdrive subiram ao palco para entrar no Hall da Fama da Música Canadense.