Justin Timberlake pede desculpas por vídeo com moradores de rua

"Eu não sabia da existência dele", disse o cantor e ator sobre as imagens, gravadas por um amigo para o casamento dele com Jessica Biel

Rolling Stone EUA Publicado em 27/10/2012, às 15h14 - Atualizado às 15h27

Justin Timberlake e Jessica Biel
AP

Justin Timberlake divulgou uma carta aberta na sexta, 26, pedindo desculpas por um vídeo com moradores de rua de Los Angeles feito para o casamento dele com a atriz Jessica Biel. Na quarta, 24, o site Gawker divulgou o vídeo, feito por Justin Huchel, amigo de Timberlake, mostrando “amigos” que não tinham condições de ir até o casamento dos dois na Itália dando os parabéns pela união.

Entrevista: atualmente mais ator do que músico, Justin Timberlake fala sobre seus papéis cômicos.

Em seu site, o cantor e ator disse que embora seja uma pessoa reservada, esse acontecimento o obrigou a se pronunciar. “Eu gostaria de começar dizendo que não vivo a minha vida tirando sarro das pessoas (a não ser, claro, que esteja tirando sarro de mim mesmo no Saturday Night Live). Especialmente daqueles que são menos afortunados ou que passam necessidades”,mescreveu. Ele ainda citou sua família, dizendo que ela a ensinou a ter compaixão e uma mentalidade em prol da igualdade.

Timberlake afirmou que não teve nenhum papel na criação do vídeo. “Eu não tinha conhecimento da existência dele. Não tive NENHUMA contribuição.” Ainda assim, declara que seus amigos são boas pessoas, apesar do ocorrido. “Não acredito que tenha sido feito para ser insensível”, continuou. “Mais ainda, acho que foi feito como uma piada em cima do fato de eu não ter muitos amigos participando do meu próprio casamento.” Ele declarou também que as imagens não foram exibidas durante a cerimônia e “que todos nós podemos concordar que [o vídeo] é desagradável”.

“Minhas profundas desculpas para qualquer um que tenha se sentido ofendido. Novamente, era algo de que eu não estava ciente. Mas eu entendo a reação e, por associação, estou me responsabilizando.” Finalizando, ele acrescentou: “Vocês podem apostar que vou obrigar meu amigo a prestar pelos menos 100 horas de serviços comunitários”.