Juventude antirracista 'tem m**** na cabeça,' afirma Johnny Rotten dos Sex Pistols

Músico se revoltou contra os protestos antirracistas protagonizados pelos jovens britânicos

Marina Sakai (sob supervisão de Isabela Guiduci) Publicado em 27/04/2021, às 19h28

None
Johnny Rotten (Foto:Getty Images / Ben A. Pruchnie)

John Lydon, ex-Sex Pistols também conhecido como Johnny Rotten, chamou a juventude britânica de “flocos de neve mimados” e “crianças tempestuosas” após derrubarem estátuas de figuras políticas, incluindo Winston Churchill, por acusações de racismo. Para o ex-punk de 65 anos, os “canceladores” tem “m**** na cabeça.”

Segundo informações do Express UK, Lydon acredita que as atitudes dividem a população e podem levar a sérios problemas. O músico também não entende o motivo de receberem tanta atenção da imprensa e mídia televisiva.

+++LEIA MAIS: Filme do Sex Pistols não tem aprovação da banda, garante John Lydon

Em entrevista ao Daily Star, refletiu sobre como odeia a cultura do cancelamento: "De onde vem o discurso moralista quando estão errados por julgarem todas as opiniões contrárias às deles?", afirmou. Ainda, comentou: "São crianças horrivelmente mimadas [...] saindo de [...] universidades com m*** no cérebro."

Rotten se revoltou contra o grupo o qual destruiu uma estátua de Churchill durante um protesto em junho de 2020. Para ele, o ex-Primeiro Ministro “salvou o Reino Unido” e todas as atitudes dele na África ou Índia em tempos passados são “completamente irrelevantes.”

+++LEIA MAIS: Johnny Rotten, ex-Sex Pistols, diz que Trump é 'a única esperança'

Os Sex Pistols terminaram oficialmente depois da última reunião em 2008. Atualmente, Lydon mora em Los Angeles (EUA) e cuida da esposa Nora Forster, de 78 anos, portadora de Alzheimer.


+++ FBC E VHOOR | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL