Kanye West diz: “Eu sou o astro do rock vivo número um”

O rapper também admitiu que “seu ego é sua droga”, em entrevista na qual explicou a faixa “I Am a God”

redação Publicado em 25/06/2013, às 08h49 - Atualizado às 09h54

Kanye West é um conhecido metrossexual. Para os camarins de sua turnê em 2007 ele fazia questão de produtos de beleza como loções para a pele, sabonetes hidratantes e shampoos específicos.
AP

Kanye West atraiu críticas por causa daquilo que as pessoas presumem que ele quis dizer com a faixa "I Am a God", de seu novo disco Yeezus, mas o ele teve seus motivos para compor a canção. Em um novo perfil publicado pela revista W, West disse que algo ocorrido durante a Semana de Moda de Paris, no último outono (do hemisfério norte), serviu de inspiração para a música desafiadora. West, que às vezes ataca de designer, tinha sido convidado para um desfile muito aguardado, mas sob a condição de que não fosse a nenhum outro.

"No dia seguinte, entrei em estúdio com o Daft Punk e compus 'I Am a God'... porque é, tipo, yo! Ninguém pode me dizer onde posso e não posso ir. Eu sou o astro do rock vivo número um”, disse West, se comparando ao frontman do Guns N' Roses Axl Rose, ao falecido vocalista do Doors Jim Morrison e a Jimi Hendrix. "Você não pode dizer que ama música e depois dizer que Kanye West não pode ir ao seu desfile! Só a ideia de que eles acham que podem me dizer onde posso e não posso ir é ridícula. É uma blasfêmia – ao rock and roll, à música.”

"Eu fiz essa música porque eu sou um deus”, ele disse depois com uma risada. “Acho que não tem muitos outros jeitos de explicar. Não vou sentar aqui e defender as coisas. Essa merda é rock and roll, cara. Essa merda é rap. Eu sou um deus. E agora?”

O rapper de 36 anos também demonstrou um lado mais ciente de si. "É a pegadinha de Deus comigo. Como um intelecto que não gosta muito de ler, digo algo super filosófico, mas falo do jeito errado”, disse West rindo. “Uso a palavra errada, e aí em vez de ser bastante especial fica completamente retardado".

E mais, West é consciente de sua tendência narcisista. "Por um lado, eu tento controlar”, ele disse. “Porque eu não quero fechar nenhuma das portas necessárias para criar o melhor produto possível. Mas meu ego é minha droga. Minha droga é ‘eu sou melhor do que todos vocês’”.