Karen O diz que o Yeah Yeah Yeahs passou por "períodos sombrios" na gravação do novo disco

Trabalho em Mosquito serviu como forma de animar os integrantes do grupo: "Tentamos fazer músicas edificantes e alegres"

Redação Publicado em 15/01/2013, às 10h29 - Atualizado às 11h56

Mosquito, Yeah Yeah Yeahs
Reprodução

Enquanto gravava Mosquito, o quarto disco da banda Yeah Yeah Yeahs, a vocalista Karen O passou por tempos difíceis em seu retorno a Nova York. Em entrevista ao site Pitchfork, a cantora explicou que o grupo venceu uma "montanha-russa" emocional para chegar ao novo trabalho e à nova sonoridade do grupo.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

"Nós temos um pequeno estúdio no centro [de Nova York], então escrevemos as músicas e gravamos as demos sempre que nos sentimos inspirados; é como fizemos em Fever to Tell [(primeiro disco deles, lançado em 2003)] e na nossa primeira demo", explicou a cantora em entrevista publicada nesta segunda-feira, 14. "Emocionalmente, foi uma montanha-russa. Voltar para Nova York foi intenso para mim. Eu vinha de uma crise de identidade. Também foi emocionalmente intenso para Nick [Zinner, guitarra e teclados da banda]. Ele passou por um término de relacionamento enquanto estávamos fazendo o disco", relevou.

A crise, contudo, levou as músicas para um caminho mais solar, explicou Karen: "Foi duro. Existiram momentos sombrios. Então, todas as vezes que íamos para o estúdio, nós simplesmente tentávamos fazer músicas edificantes e alegres. A música era quase uma medicação para tudo aquilo que estávamos sentindo", disse. "É extremamente lo-fi. Temos uma bateria eletrônica, um teclado sampleado e toneladas de delay nos vocais".

O grupo anunciou o novo disco, sucessor de It's Blitz! (2009), também na segunda, com a divulgação de um teaser (assista aqui). Mosquito tem lançamento previsto para abril. Sobre as novas faixas, a vocalista diz que uma delas tratará de uma invasão alienígena, enquanto outra, que dá nome ao disco, será sobre insetos. "Fico surpresa por não ver mais músicas sobre eles por aí", diz. "Eu tenho um ódio absurdo deles." E isso já explica a inspiração para capa de Mosquito.