Ke$ha volta atrás e diz que não foi “forçada” a cantar “Die Young”

Cantora explicou que escolheu a palavra errada para falar sobre a canção que foi rejeitada após massacre em Newtown

Rolling Stone EUA Publicado em 22/12/2012, às 13h23 - Atualizado às 13h29

Ke$ha

A cantora mostra uma versão mais sutil do corte no 26º Genesis Awards, em Beverly Hills, em 24 de março de 2012.
AP

Alguns dias depois que Ke$ha tuitou ter sido “forçada” a cantar alguns dos versos de sua música “Die Young”, a cantora afirma que escolheu a palavra errada para descrever sua situação. Algumas estações de rádio tiraram a faixa do ar para evitar relações com o massacre ocorrido na escola Sandy Hook em Newtown, nos Estados Unidos.

Entrevista: Ke$ha , a mais selvagem artista do pop.

“Após o evento trágico eu estava sentindo muita emoção e tristeza quando disse que fui forçada a cantar versos de “Die Young”. Forçada não foi a palavra certa”, escreveu Ke$ha em seu site oficial. “Eu tinha alguns problemas com a frase ‘morrer jovem’ no refrão quando estava escrevendo a letra especialmente pelos muitos fãs que são jovens e esta é uma das razões por eu ter escrito muitas versões dessa música”.

Mas a pop star hedonista continua acreditando que a faixa transmite uma mensagem positiva. “O objetivo da música é mostrar a importância de viver cada dia ao máximo e permanecer jovem no coração, nestas coisas eu acredito verdadeiramente”, ela escreveu.