Keith Richards revela que parou de beber: 'Era a hora de sair'

"É interessante tocar sóbrio", assumiu o guitarrista famoso pelo hedonismo

Rolling Stone EUA Publicado em 12/12/2018, às 17h21

None
Keith Richards (Foto: Charles Sykes/AP)

Os Rolling Stones começam a última parte da turnê No Filter em abril de 2019 e para o guitarrista Keith Richards, todo o giro da banda, iniciado ainda em 2017, tem sido inédito. 

O músico inglês revelou, em entrevista à Rolling Stone EUA, que tem deixou de ingerir bebidas alcoólicas. 

“Já faz um ano”, contou o músico. “Eu parei. Me cansei disso.” Mas, ele admite que, às vezes, ainda bebe “uma taça de vinho, ou uma cerveja”.

É um grande passo para alguém cujo hedonismo era uma parte fundamental do mito construído a sua volta. “Era a hora de sair”, confessa. "Assim como todas as outras coisas”, conta.

Foi uma correção na vida de Keith Richards? "Você pode chamar assim, sim", contou rindo. "Mas eu não noto nenhuma diferença grande – exceto pelo fato de eu não beber. Não estava me sentindo [certo]. Eu fiz isso. Não queria mais.”

O Stone Ronnie Wood, sóbrio desde 2010, após décadas de problemas de abuso de substâncias, ficou muito feliz com a notícia e percebe grandes mudanças no amigo.

+++ Há 50 anos, os Rolling Stones criavam um circo roqueiro na TV com Lennon, Clapton, The Who e se despediam de Brian Jones
 
"É um prazer trabalhar com ele assim", diz Wood. “É muito mais suave. Ele está aberto a mais ideias, enquanto antes eu lidava com ele pensando: ‘ele vai me mandar à merda por dizer isso’. Agora, ele vai dizer ‘legal, cara’.”

"Isso não estava mais funcionando", explicou Ronnie Wood sobre Richards e bebida.

+++Tudo sobre Beggar's Banquet, disco que recolocou os Rolling Stones nos trilhos

“Eu acho que o Keith que costumávamos conhecer e amar tinha um ponto no qual, se ele bebesse mais um, ele extrapolava e se tornava desagradável. Esse ponto chegava cada vez mais cedo, e ele percebeu isso.”

Richards disse que percebeu uma diferença no palco durante os primeiros shows da banda em 2018: "É interessante tocar sóbrio".
 
"Estamos em nossos setenta anos, mas ainda estamos agitando como se tivéssemos 40 anos, sabe?”, acrescentou Woods.