Keith Richards sobre as drogas: “Todos os experimentos chegam ao fim”

Guitarrista dos Rolling Stones falou sobre o passado em entrevista à revista Men’s Journal

Rolling Stone EUA Publicado em 13/06/2013, às 17h55 - Atualizado às 18h05

Keith Richards
AP

Keith Richards continua celebrando os 50 anos dos Rolling Stones, uma festa que incluiu a capa deste mês da Rolling Stone Brasil e agora a capa da norte-americana Men’s Journal.

Exclusivo: Mick Jagger e Keith Richards contam como fizeram as pazes para comemorar os 50 anos de Rolling Stones.

Na entrevista, o guitarrista descreve os anos dele como estrela do rock, junkie e homem de família, e também discute a reação de Mick Jagger a biografia dele, Vida, lançada em 2010.

Por 50 anos, Richards serviu como capitão do navio pirada que são os Rolling Stones, e com isso, ele diz, vêm diferentes percepções. “Eles acham que eu sou um personagem! Quero dizer, ‘Keith Richards’ – todo mundo sabe o que isso quer dizer”, ele diz. “Fico feliz que atinge a imaginação das pessoas! Eu gostaria de ser o velho Keith e interpretá-lo ao máximo. Eu provavelmente sou uma coisa diferente para milhões de pessoas diferentes.”

Rolling Stones 50 anos: uma carreira em fotos.

Ele também fala sobre os anos de abuso de drogas, afirmando que não acha que tenham havido danos. “É como o que Churchill disse sobre o álcool – ‘Acredite em mim, eu tirei muito mais do álcool do que o álcool tirou de mim’. E eu meio que sinto a mesma coisa em relação às drogas. Eu tirei algo disso.”

Richards também admite a curiosidade de saber como as substâncias químicas afetariam a criatividade dele, como um alquimista em busca do coquetel perfeito do rock and roll, mas diz que “todos os experimentos chegam a um fim”.

Sobre Vida, a autobiografia que irritou Mick Jagger, ele afirma: “Ele foi intencionalmente irritado. Mas, ao mesmo tempo, eu mandei as provas para ele. Não há nada ali que não seja verdade”.

Rolling Stones em dez videoclipes.