Pulse

Kill Bill, Rambo e Pulp Fiction: os 7 filmes mais sangrentos já produzidos [LISTA]

De longas de terror a dramas e ação, essas obras realmente viram o estômago do espectador

Camilla Millan Publicado em 28/09/2019, às 10h00

None
Kill Bill e Raw (Foto: Reprodução)

Sabe aquelas cenas que não conseguimos nem olhar para a tela de tão perturbadoras? Pois é, prepare-se pois os filmes listados a seguir são uma receita certa para embrulhar o estômago enquanto assiste.

Contando com litros e mais litros de sangue cenográfico, os longas chamam a atenção pela quantidade - e talvez até pelo exagero: são diversas cenas em que o líquido vermelho realmente jorra - e não é pouco.

Sabe-se que o sangue cria uma tensão a mais no espectador, e o recurso é utilizado tanto em filmes do aclamado diretor ultraviolento Quentin Tarantino - como Kill Bill- quanto em longas não tão conhecidos - como What the Waters Left Behind. 

Além disso, se você acha que o sangue aparece mais em filmes de terror está muito enganado, ação e suspense também são grandes responsáveis por cenas sangrentas. Confira uma lista dos longas mais sangrentos já produzidos:

Kill Bill

Kill Bill
A dupla de filmes Kill Bill, obras dirigidas por Quentin Tarantino, são bem violentas - mas a primeira é mais. 

+++LEIA MAIS: Quentin Tarantino revela a possibilidade de um terceiro filme de Kill Bill

Kill Bill - Volume 1 conta a história da personagem conhecida como "A Noiva", interpretada por Uma Thurman. Ela é uma ex-assassina que acorda de um coma de quatro anos após Bill, seu ex-amante e chefe, tentar matá-la no dia do casamento. A partir desse acontecimento melancólico, a protagonista inicia um plano de vingança.

Muito sangue cenográfico foi utilizado nas gravações do filme, agregado a cenas de luta com diversas referências a outros filmes clássicos, como Jogo da Morte, com Bruce Lee.

+++LEIA MAIS: Quentin Tarantino cria playlist com as músicas dos seus filmes, de Soundgarden, David Bowie a Johnny Cash

Cerca de 450 galões de sangue falso foram utilizados em Kill Bill, e apenas em Kill Bill - Volume 2, a quantidade equivale a 1.600 litros.


Raw

Filme Raw
Raw
é um filme de drama francês famoso pelas cenas desagradáveis, principalmente relacionadas a sangue. O incômodo é tanto que quando foi exibido nos cinemas da França, diversas pessoas passaram mal e chegaram a deixar as sessões. No Festival de Toronto, espectadores chegaram a desmaiar, e uma ambulância foi chamada.

+++LEIA MAIS: Mindhunter, Inacreditável e The Sinner: 7 séries mais incômodas que a Netflix já fez [LISTA]

No entanto, como explicou a diretora Julia Ducournau, o objetivo dele é justamente causar incômodo ao espectador, fazendo-o sentir como se ele próprio estivesse participando dos momentos bizarros do longa.

Raw conta a história de Justine, uma jovem vegetariana obrigada a comer carne animal crua pela primeira vez em um trote de sua faculdade de veterinária. Depois disso, aos poucos, a personagem vai se tornando canibal.

Com cenas fortes de violência explícita e canibalismo, Raw é uma forte reflexão sobre o poder destrutivo da violência dos seres humanos.


Pulp Fiction: Tempo de Violência

Pulp Fiction: Tempo de Violência
O filme de Quentin Tarantino, lançado em 1995 no Brasil, conta a história de quatro criminosos cujos caminhos acabam se cruzando. Trata-se de um pistoleiro apaixonado pela mulher de seu chefe, um boxeador e um casal que tenta executar um plano de roubo.

Considerada uma das obras mais clássicas da década de 1990, Pulp Fiction: Tempo de Violência tem fortes cenas explícitas, como violência de socos e tiros. No entanto, a construção do longa se faz de uma forma que o violento se una ao humor, denunciando os desvios da sociedade norte-americana.

+++LEIA MAIS: Quentin Tarantino revela 7 detalhes precisos sobre os assassinatos de Charles Manson em Era Uma Vez em Hollywood

Além das críticas, a violência - e principalmente o sangue - aparece em abundância. Em uma das cenas, os protagonistas aparecem banhados de sangue na sala de estar, e em outro momento, o líquido jorra na câmara, representação do rosto dos próprios espectadores.

De acordo com os técnicos de efeitos especiais do longa, cerca de 450 galões de sangue falso foram utilizados nas gravações do filme, o equivalente a cerca de 1700 litros.


Headshot

Headshot
O filme de 2016 foi dirigido por Timo Tjahjanto e Kimo Stamboel, e conta a história de um homem com amnésia cuja necessidade é combater um sindicato criminoso com o objetivo de proteger o médico que salvou a vida dele.

+++LEIA MAIS: Violência de Coringa causa preocupação de críticos por inspirar pessoas reais

Estrelado pelo ator Iko Uwais, o longa indonésio de ação conta com uma boa quantidade de cenas violentas, mas, principalmente, sangue.

A jornada do personagem conta com torturas e reviravoltas, e há momentos tão intensos de violência em que o sangue chega a espirrar na câmera.


What the Waters Left Behind

What the Waters Left Behind
O filme de terror argentino lançado em 2018 e dirigido por Nicolás e Luciano Onetti faz uma mistura de real e fictício que deixa o longa ainda mais assustador.

What the Waters Left Behindconta a história de amigos que vão a uma cidade, chamada Epecuén, para fazer um documentário sobre a tragédia ocorrida no município. Até aí o filme conta uma história verdadeira, retratando a cidade argentina conhecida como "cidade fantasma", a qual, em 1985, foi inundada devido à quebra de sua barragem.

+++LEIA MAIS: 8 mais aterrorizantes adaptações do Stephen King para cinema e TV

Após chegarem, são surpreendidos por pessoas mascaradas à espreita, com pedaços de pau e arame farpado, e inicia-se um grande banho de sangue e tortura nos jovens. O filme conta com muitas cenas aterrorizantes, com desmembramentos, assassinatos extremamente criativos e, lógico, verdadeiros rios de sangue.


A Morte do Demônio

A Morte do Demônio
O filme de terror, dirigido por Fede Alvarez, é uma refilmagem de um longa de 1981, e comprovadamente a produção que mais usou sangue falso. Foram 50 mil galões, o equivalente a 190 mil litros!

A Morte do Demônio conta a história de adolescentes isolados em uma cabana no meio da mata. Eles são possuídos por demônios após descobrirem o Livro dos Mortos. Depois disso, são obrigados a se auto-mutilarem e matarem uns aos outros.

O longa conta com uma quantidade de cenas de violência e sangue muito acima da média dos filmes de Hollywood, incluindo efeitos bem realistas. Em um dos momentos do filme - certamente o responsável pela quantidade de sangue falso utilizado - começa a chover o líquido vermelho em cima da personagem Mia.

+++LEIA MAIS: Brad Pitt planeja se afastar de Hollywood: "Eu quero fazer outras coisas agora"


Apóstolo

Apóstolo
Lançado em 2018, o filme dirigido por Gareth Evans conta a história de um homem que tenta resgatar a irmã de um profeta cheio de segredos em uma ilha isolada. 

O longa, disponível na Netflix,  conta com cenas bizarras de rituais e crueldade, mas principalmente muito sangue.

As cenas de matança, assim como o suspense, criam um filme de terror que, além de cruel, é extremamente realista e grotesco. E a abundância de sangue é apenas um dos recursos para fazer a malvadeza ainda mais evidente.


Rambo IV

Rambo IV
Em 2008, foi lançado Rambo IV, dirigido e estrelado por Sylvester Stallone. E como o 4º filme da franquia não poderia ser diferente dos outros, é recheado de violência.

O filme conta a história do retorno de John Rambo em aventuras perigosas na Tailândia. Dessa vez, o herói precisa resgatar um grupo de missionários das mãos de um exército birmanês. 

+++LEIA MAIS: Criador de Rambo diz estar envergonhado com novo filme de Sylvester Stallone

Como já foi admitido por Stallone, o baixo orçamento do filme levou ao alto investimento em  violência, e isso inclui quantidades absurdas de sangue falso. 

Essa escolha do diretor pode ser percebida nas cenas de ação, com muitos tiros, tortura e diversos outros métodos os quais possibilitam ao espectador um verdadeiro banho de sangue.