Kings of Leon fecha o segundo dia de SWU

Banda faz bom show, mas tem recepção morna do público na Arena Maeda

Por Bruna Veloso Publicado em 11/10/2010, às 18h42

Kings of Leon em show no SWU
Divulgação

Atualizada às 14h12

"Vocês estão lindos aqui de cima [do palco], muito obrigado por estarem aqui", diz Caleb Followill, do Kings of Leon. Diante de um público de mais de 50 mil pessoas no segundo dia do festival SWU, que acontece em Itu, o vocalista dos headliners da noite se mostrou simpático - mesmo que a plateia parecesse conhecer apenas hits do penúltimo disco da banda, o premiado Only By the Night (2008).

O grupo, formado em família (Caleb, o baterista Nathan e o baxista Jared são irmãos; Matthew, o guitarrista, é primo dos três), começou o show às 23h, no palco Água, com "Crawl". Já no começo da apresentação era possível perceber que o palco do Kings of Leon foi o mais bem adornado até o momento: ao fundo, atrás dos integrantes, dezenas de holofotes piscavam de acordo com a música (no entanto, os telões, a pedido da banda, exibiram imagens em preto e branco). Ainda na segunda faixa, "Molly's Chambers", primeiro grande hit do quarteto, o som dos instrumentos parecia abafado - o que, mais adiante, seria solucionado.

O setlist do show teve músicas de todos os discos, incluindo duas ("Mary" e "Radioactive") do ainda inédito Come Around Sundown, que chega às lojas esta semana. Das 20 músicas tocadas em 1h30, oito foram de Only By the Night, o álbum mais famoso da banda. No entanto, apesar de lotar a Arena Maeda, o público não parecia familiarizado com o repertório do KoL, à exceção de um ou outro single e de "Sex On Fire" e "Use Somebody", cantadas em coro. Esta última, apresentada no bis, foi o atestado de que a plateia não era composta por grandes fãs: ao final da música, muita gente saiu da pista Premium, enquanto a banda ainda tocava "Black Thumbnail". E antes do bis, a massa nem sequer gritou pela volta dos integrantes ao palco, como de costume.

Mesmo com a falta de "calor" do público, o Kings of Leon fez um show intenso, em especial devido aos vocais apaixonados de Caleb, que soam ainda mais rasgados ao vivo. No palco, os Followill quase não interagem uns com os outros, ficando absortos em suas funções. Nathan, vestido com uma camiseta do Nirvana, faz boa parte dos backing vocals, enquanto Jared, o baixista, mostra animação, mas mantém a pose de galã. Caleb e Matthew se revezam nos solos, mas o guitarrista tem seus momentos de destaque, como em "Closer", em que toca trechos com a boca.

Antes de apresentar "Back Down South" (uma referência à terra natal do grupo, no Tennessee, e ao southern rock), Caleb mais uma vez falou com o povo no Arena. "Hoje vamos festejar muito, e amanhã voltamos para casa. Queríamos que vocês soubessem o quanto nos divertimos aqui", afirmou. "Queríamos poder ficar mais. Quem sabe no ano que vem vocês nos convidam novamente." Se isso acontecer, melhor que seja em uma casa de shows, para uma plateia que realmente conheça a banda.