Ícone noventista, L7 consolida retorno com nova música: “Não estraguem o termo ‘rockstar’”

Quatro meses após o lançamento do single “Dispatch From Mar-a-Lago”, primeiro em 18 anos, banda solta a faixa “I Came Back to Bitch”

Rolling Stone EUA Publicado em 09/02/2018, às 15h12 - Atualizado às 16h41

A banda norte-americana L7

Ver Galeria
(2 imagens)

Depois de 18 anos sem lançar um som inédito, e três anos depois da última reunião, o quarteto punk L7 lançou, em setembro do ano passado, o single “Dispatch From Mar-a-Lago”. A banda reaparece agora com uma nova faixa, “I Came Back to Bitch”, acompanhada por um clipe, divulgado nesta sexta, 9, sendo o primeiro material inédito do grupo em 2018.

A produção bruta e crua de “I Came Back to Bitch” remete diretamente ao álbum de estreia da banda, lançado em 1988. A música traz consigo uma raiva direcionada que, segundo a vocalista Donita Sparks, surgiu após observar políticos e investidores de Wall Street “se cumprimentando e se chamando de rock stars… Mas na realidade não estão contribuindo em nada para a sociedade. Isso nos irrita muito”, conta ela em entrevista à Rolling Stone EUA.

Falando diretamente de sua casa em Los Angeles, Donita continua: “Eu não me impressiono com dinheiro. Eu me impressiono com conquistas. Muitos babacas têm dinheiro. Quem liga pra isso?”. Ela revelou também que, nos quatro meses após o lançamento de “Dispatch From Mar-a-Lago”, escreveu “I Came Back to Bitch” e outras músicas. “Foi como entrar novamente no personagem, e compor nessa voz combativa mas também humorística.”

Quando questionada se a música é uma resposta a algo em particular, ela esclarece com um pedido: “Parem de tentar fazer as coisas serem sobre algo específico. É universal. É sobre babacas gananciosos usando a palavra ‘rockstar’ porque alguém obteve um lucro enorme às custas de outra pessoa… Não estraguem o termo ‘rockstar’. Isso é grotesco. Pessoas que criam, que cuidam e funcionários públicos – são essas pessoas que realmente contribuem para a sociedade. Filhos da puta capitalistas apenas ganham dinheiro poluindo as coisas e arruinando bairros.”

Ela continua o protesto dizendo que “tudo está a caminho de virar merda. Não atrele isso a nenhuma tendência. Quem produz música folk faz isso com um violão. A gente tem uma abordagem diferente. Estamos aqui para reclamar… porque somos reais.”

O mais impressionante de tudo em relação à autenticidade do L7 é que as músicas recentes são totalmente feitas pelas integrantes, lançadas sem o suporte de um selo musical. Segundo a vocalista, o clipe também foi produzido e bancado por conta própria, com o diretor Joel Fernando. A turnê em território norte-americano, recentemente anunciada, também seguirá o mesmo esquema.

Assista ao clipe de “I Came Back to Bitch” abaixo.