Rolling Stone Brasil
Busca
Facebook Rolling Stone BrasilTwitter Rolling Stone BrasilInstagram Rolling Stone BrasilSpotify Rolling Stone BrasilYoutube Rolling Stone BrasilTiktok Rolling Stone Brasil

La Teta Asustada leva Urso de Ouro

Cinema latino-americano recebe cinco prêmios no 59° Festival de Berlim, inclusive os de melhor filme e melhor longa de diretor estreante

Da redação Publicado em 16/02/2009, às 16h32

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail

A noite de sábado, 14, foi de comemoração para o cinema latino-americano. No total, cinco prêmios conquistados no 59° Festival de Berlim, inclusive os de melhor filme (La Teta Asustada - Peru) e melhor longa de diretor estreante (Gigante - Argentina/Uruguai).

Vencedor do Urso de Ouro, La Teta Asustada conta a história de Fausta (Magaly Solier), e de como a garota quíchua (linhagem indígena dos Andes) lida com um medo passado de geração para geração. Sua mãe foi vítima de abuso sexual durante a época dos conflitos internos no Peru, que envolviam principalmente o grupo terrorista Sendero Luminoso. Cantora, Fausta se muda do interior para a capital, Lima, para trabalhar como empregada doméstica.

Magaly nasceu em Guanta, primeira cidade tomada pelo Sendero Luminoso e última a ser libertada. Cantora e compositora também na vida real, escreveu as músicas que a personagem interpreta durante o filme.

Em entrevista à Folha de S. Paulo desta segunda, a diretora de La Teta Asustada, Claudia Llosa, disse que queria se referir "à permanência perpétua da ferida. Falar das feridas emocionais provocadas por uma guerra civil, uma guerra entre irmãos, e como isso se transmite de geração para geração".

Veja a lista com os principais vencedores:

Urso de Ouro (melhor filme)

La Teta Asustada, de Claudia Llosa (Peru/Espanha)

Prêmio Especial do Júri

Everyone Else, de Maren Ade (Alemanha)

Gigante, de Adrián Biniez (Argentina/Uruguai/Alemanha)

Melhor longa de diretor estreante

Gigante, de Adrián Biniez (Argentina/Uruguai/Alemanha)

Melhor diretor

Asghar Farhadi, por About Elly (Irã)

Melhor atriz

Birght Minichmayr, por Everyone Else

Melhor ator

Sotigui Kouyate, por London River (Reino Unido/França)

Melhor roteiro

Oren Moverman e Alessandro Camon, por The Messenger (EUA)

Prêmio Alfred Bauer

Gigante e Sweet Rush, de Andrjez Wajda (Polônia)

Melhor estréia

Gigante

Melhor curta

Please Say Something, de David O'Reilly (Irlanda)

Prêmio C.I.A.C. (Confederação Internacional de Cinema de Arte e Ensaio)

Ander, de Roberto Castón (Espanha)