Lagerfeld prefere ignorar crise

Durante a semana de moda de Paris, estilista da Channel simplificou: "Temos que esperar que [a crise] seja um acidente"

Da redação Publicado em 11/03/2009, às 16h37

Em entrevista ao portal UOL, em Paris, o estilista Karl Lagerfeld, que assina as criações da grife Chanel, declarou que "os estilistas não podem pensar muito [na crise] porque temos que esperar que [a crise] seja um acidente."

Questionado sobre como se sentia como criador e empresário na situação de crise financeira mundial, o estilista simplificou: "O que nós fazemos é algo para daqui a seis meses. Quem sabe como estará o mundo em seis meses, quem sabe onde estaremos em seis meses?"

No sentido contrário do que declarou Lagerfeld ao portal, o estilista norte-americano Marc Jacobs, em entrevista à revista Veja desta semana, afirmou que sua marca tomou providências no novo cenário financeiro mundial: "Na minha grife, até chegamos a discutir se deveríamos prestar mais atenção ao preço dos tecidos, usar menos material em determinada saia, diminuir a quantidade de mão-de-obra especializada, enfim, cortar gastos. No fim, decidimos fazer o que sempre fizemos, só que com mais responsabilidade. Em Nova York, cortamos o número de convidados do desfile. Não gastamos 1 milhão de dólares no cenário, não fizemos festa depois. Cortamos todos os extras e realizamos um desfile focado, sem celebridades."