LaToya diz que Michael Jackson foi assassinado

Em entrevista a tabloide inglês, irmã afirma que cantor foi vítima de “conspiração”

Da redação Publicado em 13/07/2009, às 16h19

LaToya Jackson afirmou, em polêmica entrevista ao tabloide inglês Daily Mail, que Michael Jackson foi assassinado - e que ela sabe que são os criminosos. "Eu acredito que ele foi assassinado, senti desde o início. Não foi apenas uma pessoa, foi uma conspiração", declarou.

A cantora - que escreveu o livro Growing Up In the Jackson Family (algo como "crescendo na família Jackson", de 1991) e chegou a afirmar que acreditava que Michael era culpado por abuso sexual contra menores, à época - acredita que o cantor "era cercado por um mau círculo. Michael era uma pessoa muito meiga, quieta e amorosa. Pessoas tiravam vantagem disso."

A segunda autópsia no corpo do cantor (realizada no sábado, 27 de junho, um dia depois do procedimento comandado por autoridades de Los Angeles) teria sido ideia de LaToya, que viu "quatro marcas de agulhas" no pescoço de Michael. Ela ainda aproveitou para afirmar que o médico particular do astro, Dr. Conrad Murray, comportou-se de modo "estranho" e desapareceu ao sentir-se intimidado pelas perguntas da família após a morte.

As declarações de LaToya foram publicadas pouco depois de a polícia de Loa Angeles revelar que a hipótese de assassinato não estava descartada no caso.

Michael Jackson faleceu no dia 25 de junho, depois de sofrer uma parada cardíaca. b>