Lauren Bacall receberá Oscar honorário

Roger Corman, clássico produtor de filmes B, também será homenageado pela Academia

Da redação Publicado em 11/09/2009, às 11h56

Lauren Bacall, famosa por filmes como À Beira do Abismo (1946) e Como Agarrar um Milionário (1953), será laureada com Oscar honorário na premiação do ano que vem.

Apesar de integrar a "realeza hollywoodiana", a atriz - que, nesta década, trabalhou com Lars Von Trier em Dogville e Manderlay - nunca ganhou um Oscar. A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas é perita em corrigir "injustiças" do gênero - os exemplos mais clássicos são os prêmios pelo conjunto da obra a Alfred Hitchcock (1968) e Charles Chaplin (1972), dois grandes nomes do cinema que saíram de mãos abanando em edições anteriores.

Bacall, que completará 85 anos nesta quarta, 16, debutou no cinema em Uma Aventura na Martinica, ao lado do lendário Humphrey Bogart (de Casablanca). Desde então, estrelou em mais de 30 produções.

O produtor Roger Corman, de 83 anos, e o cinematografista Gordon Willis, 78 anos, também receberão prêmio honorário em baile de gala, no dia 14 de novembro. A cerimônia antecede a 82ª edição do Oscar, que acontecerá em 7 de março, no teatro Kodak, em Los Angeles.

Corman trabalhou com artistas como Francis Ford Coppola (em Dementia 13) e Martin Scorsese (Sexy e Marginal), um dos primeiros da carreira do cineasta). Os nomes das obras já entregam: o produtor era especialista em filmes B, maioria nas cerca de 300 produções em que trabalhou. Ele também tem experiência em direção: é dele a primeira versão, em 1960, de A Pequena Loja dos Horrores, com Jack Nicholson.

Assim como Corman, Willis também trabalhou com Coppola - no caso, numa produção que poucos tabelariam como filme B. Por O Poderoso Chefão 3, o cinematografista chegou a ser indicado a uma estatueta dourada, feito que já havia acontecido antes, em Zelig, de Woody Allen.

O produtor-executivo John Calley, que está nos créditos de Closer e O Código Da Vinci, será homenageado com o Prêmio Memorial Irving G. Thalberg. A categoria, que não consta em todas as edições do Oscar, zela por "diretores criativos" - foi nela que Hitchcock faturou seu Oscar. O rol de vencedores inclui Billy Wilder, George Lucas e Steven Spielberg.

Para o ano que vem, a Academia decidiu reformar algumas regras do Oscar. Desta vez, serão 10 filmes indicados a melhor filme, em vez dos cincos habituais - espera-se, assim, tirar a cerimônia do marasmo dominante nas edições recentes. A série de mudanças poderá levar à eliminação do Oscar de melhor canção, caso nenhuma das músicas concorrentes atinjam determinado padrão de qualidade.

Entre os brasileiros que concorrem à indição de filme estrangeiro, estão Budapeste e A Festa da Menina Morta.