Leilão oferece almoço com Billy Corgan

Internautas podem dar lances até terça, 30; valor já chega a R$ 12,6 mil

Da redação Publicado em 27/06/2009, às 14h36

Quando vale um almoço com Billy Corgan? O site Charitybuzz pode ajudar a responder essa questão: lá foi aberto, no começo do mês, leilão online para interessados em compartilhar a mesa com o líder do Smashing Pumpkins. O preço mínimo foi US$ 500 (R$ 972). Até a noite de sexta, 26, a menos de uma semana do encerramento (nesta terça, 30), o site registrava 21 lances - o maior deles era de US$ 6,5 mil (R$ 12,6 mil).

A notícia foi confirmada pelo site oficial do Smashing Pumpkins esta semana. Os termos são os seguintes: o dono do maior lance terá direito a levar um amigo; o local deverá ser acordado por músico e comprador, em algum restaurante em Los Angeles ou Chicago; quem paga a conta é o vitorioso no leilão.

O site aproveita a deixa e faz uma espécie de cartão de visitas para promover a "mercadoria" em jogo:

"Billy Corgan fez muitos álbuns sob diferentes nomes - com sua banda lendária Smashing Pumpkis e com o Zwan, de carreira curta porém aclamada. Como escritor, produtor, músico e cantor, ele contribuiu para gravações de Cheap Trick, Ric Ocasek, New Order e Hole, entre outros. Forneceu, ainda, faixas para a trilha de filmes como Stigmata e O Preço de um Resgate. Em 2005, Corgan lançou o assustadoramente belo The Future Embrace, seu primeiro álbum solo."

A nota conclui: "Faça sua oferta agora e encontre esta estrela extremamente multi-talentosa em Chicago ou Los Angeles para um oportunidade única!".

Encontros com Cher (em dezembro, no backstage do show da cantora, com maior lance atualmente em US$ 8,5 mil, ou R$ 16,5 mil) e Jason Mraz (em agosto, a pelo menos US$ 950, ou R$ 1,8 mil) também estão no cardápio do leilão.

A renda arrecada será revertida à fundação responsável pelo Hall da Fama dos Compositores, que recentemente apostou em Mraz como novo talento e incluiu em sua galeria Jon Bon Jovi e Tom Jones. De acordo com o site Pitchfork, a quantia se destinará à criação de um museu em Nova York, dedicado aos compositores reconhecidos pela fundação (a lista vai de Bob Dylan a Tom Jobim).