Lobão diz que ‘golpe está a caminho’

O músico participou da última edição do programa Roda Viva, nesta segunda-feira, 1

Redação Publicado em 02/06/2020, às 09h30

None
Lobão no Roda Viva (foto: reprodução/ TV Cultura)

Lobão revelou acreditar que um golpe “está a caminho”. O músico participou da última edição do programa Roda Vida, da TV Cultura, nesta segunda-feira, 1, e falou sobre a situação dos protestos pelo país durante a pandemia de coronavírus  e como as políticas de confinamento para conter a doença não levam “a coisa nenhuma”.

"Você vai para as favelas, não tem saneamento básico e vai querer botar as pessoas em confinamento, não tem nem água. Essa questão da contenção do auxílio dos 600 reais é um sadismo do governo, então essa explosão é absolutamente legítima na medida que... Imagina você já morando em um barraco, com 20 pessoas, e você sendo evaporado. As mortes, uma pandemia horrorosa e um confinamento que não te leva a coisa nenhuma.”

O músico criticou o governo de Jair Bolsonaro e afirmou que falta representatividade na política brasileira é uma das motivações para os protestos que acontecem no país. Para Lobão, as instituições democráticas não estão asseguradas e o presidente da Câmara Rodrigo Maia vai “ficar devendo”  de uma maneira trágica.

+++ LEIA MAIS: Lobão condena ‘esquerda p*u mole’ e ‘recalcados’ da direita no Roda Viva

"Estamos em uma pandemia, as pessoas estão se estapeando na rua porque não tem essa representatividade. O STF [Supremo Tribunal Federal] tá se agigantando nesse sentido, temos que chamar a responsabilidade desses homens que estão nos poderes constituídos através de pessoas com essa autoridade. E não só as pessoas como Fernando Henrique Cardoso, Caetano Veloso, pessoas de renome, mas essa quantidade enorme, multiplicação, representatividade numérica que precisamos acreditar com uma fé cega.”

Ele completou: “É nossa única salvação, porque o golpe está a caminho [...] Alertar a seriedade, um cara como Rodrigo Maia vem dizer que as instituições democráticas estão asseguradas, não estão, Rodrigo Maia, não estão. Você historicamente vai ficar devendo essa de uma maneira trágica”.

Depois dos EUA ter sido tomado por protestos por George Floyd, homem negro morto por um policial branco durante uma abordagem, os brasileiros também começaram a se manifestar pelas mortes de pessoas negras cometidas por policiais no país, como a do João Pedro, morto aos 14 anos durante uma operação da Polícia Civil e Federal no Rio de Janeiro. 

+++ LEIA MAIS: Lobão critica presidente da Funarte que ligou rock ao aborto: "Bolsonazismo é uma doença que assola o país"

Lobão acredita que a população está no caminho certo ao sair nas ruas e pedir pelo fim da violência policial, racismo e abuso de autoridade, como quando as torcidas organizadas de futebol se juntaram para se manifestar pela democracia no último domingo, 31. 

"Quando a gente vê as manifestações tanto nos EUA, com a morte do Floyd, e o João Pedro aqui, as milícias, a polícia... Isso é uma coisa muito importante para a gente ver. Acho que esse núcleo, que aumenta gigantescamente, que se assemelha com o movimento Diretas, é esse caminho que a gente deveria ter. Achei muito compreensível as torcidas [de times de futebol] entrando nas ruas."


+++ VITOR KLEY | A TAL CANÇÃO PRA LUA | SESSION ROLLING STONE