Lollapalooza 2013: vozeirão de Brittany Howard garante belo show do Alabama Shakes

Mesmo com a falta de estrutura do palco Alternativo, banda reuniu grande público com canções do único disco, Boys & Girls, e inéditas

Pedro Antunes Publicado em 30/03/2013, às 21h01 - Atualizado em 02/04/2013, às 18h50

Alabama Shakes
Divulgação

Os gritos de “you got to hold on”, de Brittany Howard, líder, voz e coração do Alabama Shakes, espalharam-se pelo Jockey Club, neste sábado, 30, segundo dia de Lollapalooza, como uma prece para aquela garota que, segundo a letra autobiográfica, não achava que conseguiria chegar aos 22 anos. Ela conseguiu e, não só isso, está muito bem, obrigado.

Entrevista: "É bem surreal", diz guitarrista do Alabama Shakes sobre tocar no festival.

O vozeirão da cantora foi demais inclusive para a diminuta estrutura do palco Alternativo. Os graves fluíam muito mais do que os agudos do piano Hammond e das duas guitarras (uma delas, de Brittany). Estes se perdiam – infelizmente. Pelo o que foi mostrado nesta tarde, a banda certamente poderia ter um lugar de mais destaque, ou, pelo menos, um palco cuja estrutura de caixas de som fosse mais abrangente. Quem ficou nas laterais da plateia sofreu para discernir as canções da banda.

No palco, contudo, o Alabama Shakes fez tudo o que se podia esperar de uma banda iniciante, que tem apenas um disco na praça (Boys & Girls, lançado ainda em abril de 2012). O grupo alternou os hits instantâneos do álbum com canções inéditas, que não funcionaram apenas para “encher linguiça” de um repertório diminuto. Pelo contrário: “Heavy Chevy”, uma faixa bônus que não esteve presente na versão do álbum que foi lançado no Brasil, por exemplo, ganhou palmas do público, que acompanhou a bateria acelerada.

O Alabama trouxe uma sonoridade vintage, com blues e rockabilly, unidos pelos vocais poderosos e confessionais de Brittany. A devoção da banda, em cada nova canção, foi aos poucos fisgando até os curiosos. A vocalista, por exemplo, sacudiu tanto que, em dado momento, perdeu o óculos de grau.

Depois de duas canções de fácil apelo popular, “Hold On” e “I Found You” – uma das mais belas declarações de amor lançadas em 2012 –, Brittany parou alguns segundos para conversar com o público. “É a nossa primeira vez no Brasil”, disse ela. “Muito obrigado por virem”, completou, antes de “Heartbreaker”, outra do álbum Boys & Girls.

Eles executaram outras inéditas, como “Worryin’ Blues” e “Heat Lightning”, intercaladas por canções mais conhecidas, sem perder o pique. Ao fim do show, aquela uma hora da trupe de Brittany pareceu passar rápido. Depois que a voz dela parou de ecoar pelo Jockey Club, o silêncio que se seguiu já deu logo um gostinho de saudade.