Pulse

Mac Miller: Três homens são oficialmente acusados por envolvimento na morte do rapper

Stephen Walter, Ryan Reavis e Cameron James Pettit foram acusados de conspiração e distribuição de drogas

Jon Blistein, Rolling Stone EUA Publicado em 03/10/2019, às 12h15

None
Mac Miller (Foto: Shooter / Media Punch)

Os promotores do Distrito Central da Califórnia indiciou três homens - Stephen Walter, Ryan Reavis e Cameron James Pettit - pela distribuição de drogas que resultaram na morte de Mac Miller.

Os três homens já haviam enfrentado antes acusações e pedidos de prisão. Um representante da Procuradoria dos Estados Unidos esclareceu à Rolling Stone EUA qual é acusação que está em procedimento.

“A acusação contém duas acusações que apontam os homens como responsáveis pela morte de Mac Miller - por conspiração e distribuição de narcóticos. Anteriormente, Pettit e Miller foram acusados de distribuir narcóticos, e agora a acusação alega que sua conduta resultou na morte.”

A nova acusação, divulgada na quarta-feira, 25, detalha como os promotores concluíram que Walter, Reavis e Pettit supostamente venderam para Miller oxicodona falsificada, que continha fentanil. Leia o documento de acusação completo aqui.

O documento declara que no dia, ou próximo do dia, 4 de setembro de 2018, Miller mandou uma mensagem para Pettit e pediu '10 fake blues' - nome usado para se referir ao remédio para dor Percocet. Em seguida, Pettit enviou uma mensagem para Walter, que respondeu que mandaria uma 'mula' para entregar as pílulas. Reavis, a 'mula', entregou os remédios para Pettit, que os vendeu para o artista junto com cocaína e Xanax, na manhã de 5 de setembro.

+++ Leia Mais: Pai de Mac Miller comemora prisão de traficante que supostamente vendia drogas ao rapper

Miller morreu de overdose acidental no dia 7 de setembro, aos 26 anos. A autópsia revelou, mais tarde, que havia também fentanil, cocaína e álcool no corpo dele.

Depois da morte do rapper, o documento afirma que Walter, Pettit e Reavis continuaram traficando drogas. A acusação indica vendas de pílulas e cocaína, assim como um suposto cúmplice não acusado, para quem Reavis escreveu: “As pessoas estão morrendo de 'fake blues' falsas em todo lugar, é melhor você acreditar que a polícia está usando informantes e disfarces para comprá-los na rua. Eles podem começar a colocar pessoas na prisão por toda a vida por vender pílulas falsas. ”

Pettit e Walter ainda poderão enfrentar novas acusações no novo documento que será apresentado no dia 10 de outubro. Reavis foi preso em Arizona e será transferido para Los Angeles. Pettit é o único que possui um advogado de defesa, que ainda não se pronunciou sobre o caso.

Mac Miller começou a cantar aos 14 anos e conquistou uma base de fãs antes mesmo de assinar com a Rostrum Records, a mesma gravadora de Wiz Khalifa. Durante a carreira, Miller lançou cinco álbuns de estúdio e diversas mixtapes. O último EP, Swimming, foi lançado no dia 3 de agosto, um mês antes da morte do rapper.