Madonna defende o uso de imagens nazistas em turnê

Segundo a cantora, uso dos símbolos traz mensagem sobre "a intolerância que nós humanos temos um pelo outro"

Redação Publicado em 26/07/2012, às 19h37 - Atualizado às 19h37

Madonna
AP

Madonna defendeu o uso de imagens nazistas em sua mais recente turnê, dizendo que o uso de tais símbolos ilustra uma mensagem sobre “a intolerância que nós seres humanos temos um pelo outro”, informou o The New York Times.

Entrevista RS: Madonna reflete sobre três décadas de provocações, escândalos e sucessos.

Nos shows da MDNA Tour, durante a música “Nobody Knows Me”, uma montagem com a imagem de uma suástica é mostrada sobre o rosto de Marine Le Pen, líder da Frente Nacional francesa. O vídeo também inclui imagens do líder chinês Hu Jintao, do Papa Bento XVI, da norte-americana Sarah Palin e, logo após a imagem de Marine, Adolf Hitler. “Nós não podemos aceitar este insulto”, disse Florian Phillippot, vice-presidente da Frente Nacional. “Marine Le Pen está defendendo sua honra e também a dos membros do partido, apoiadores e milhões de eleitores da Frente Nacional.”

Madonna exibiu o vídeo pela primeira vez na estreia da turnê, em Tel Aviv, Israel, e Marine Le Pen já tinha avisado que se a cantora fizesse o mesmo na França, o partido “estaria esperando por ela”. “É compreensível quando cantores que estão envelhecendo e precisam de publicidade vão ao extremo. Sua música não funciona mais”, disse ela. Madonna continua a usar a montagem por onde a turnê passa.

Em entrevista ao programa a Zeca Camargo no programa Fantástico, da Rede Globo, no último domingo, 22, a cantora justificou a utilização da suástica dizendo que a canção examina a intolerância e “o quanto nós julgamos as pessoas antes de conhece-las”.

“Música deveria ser sobre ideias, certo?”, acrescentou. “Ideias inspiram a música.”

Em dezembro, Madonna trará o atual show ao Brasil, passando por São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre.