Madonna é criticada na Rússia por "promover a homossexualidade"

Deputado da Assembleia Legislativa de São Petersburgo disse que “é preciso punir Madonna ou os organizadores dos show”

Redação Publicado em 10/08/2012, às 13h31 - Atualizado em 11/08/2012, às 12h33

Madonna
AP

Nesta sexta, 10, Vitali Milonov, deputado da Assembleia Legislativa de São Petersburgo, acusou Madonna de violar a lei nacional que condena a propaganda da homossexualidade e do "estilo de vida gay" durante sua apresentação em Moscou, na Rússia, realizada na última terça, 7.

Show de Madonna na Rússia recebe ameaças de violência.

“É preciso punir Madonna ou os organizadores dos show”, disse Milonov à agência Interfax. A cantora se apresentou em São Petersburgo na última quinta, 9, e distribuiu braceletes rosas ao público na entrada do show e pediu para que as pessoas usassem o adorno como um sinal de “apoio à comunidade gay".

“Queremos lutar pelo direito de sermos livres", proclamou ela durante a apresentação. "É uma época muito estranha no mundo. Estou viajando o mundo todo e sinto isso no ar... Eu sinto que as pessoas estão ficando cada vez mais com medo das pessoas que são diferentes; as pessoas estão se tornando mais e mais intolerantes."

A cantora norte-americana gerou polêmica quando, no show de Moscou, protestou no palco contra a prisão das três integrantes do grupo punk russo Pussy Riot. Dimitri Rogozin, um ministro do país, chamou Madonna de “ex-prostituta” pelo Twitter, veja aqui.