Madonna relembra estupro sofrido nos anos 80, quando chegou a Nova York

A cantora assinou um texto na edição norte-americana da Harper’s Bazaar em que também comenta o fenômeno Miley Cyrus: “ser ousada se tornou uma regra”

Redação Publicado em 05/10/2013, às 15h10 - Atualizado às 17h19

Madonna
Evan Agostini/Invision/AP

Madonna assinou um texto na nova edição da revista norte-americana Harper’s Bazaar em que fala sobre as violências que sofreu logo que chegou em Nova York, nos anos 80, incluindo um estupro. “Nova York não era tudo que eu esperava que fosse. Ela não me recebeu de braços abertos”, disse a cantora.

Benfeitores da música: dez artistas que dedicam tempo e dinheiro a causas humanitárias.

Madonna já havia falado sobre o assunto há alguns anos, mas desta vez detalhou os abusos e agressões.

Os trabalhos das celebridades antes da fama.

“No primeiro ano, fiquei sob a mira de uma arma. Fui estuprada no telhado de um prédio para o qual fui arrastada com uma faca em minhas costas e tive meu apartamento invadido três vezes”, contou ela, dizendo que as experiências a ajudaram a se tornar uma pessoa mais forte.

Arquivo RS: há 25 anos, Madonna já mostrava que se tornaria uma estrela.

Ela estampa a capa da revista, que fez uma edição especial sobre ousadia. Sendo assim, Madonna escreveu a respeito de cantoras da nova geração que estão seguindo este caminho, como Rihanna e Miley Cyrus.

De 1990 a 2012: dez polêmicas de Madonna.

“Quando você tem 25 anos é um pouco mais fácil ser ousada, especialmente se você é uma estrela pop, porque as pessoas esperam que você tenha um comportamento excêntrico”, escreveu. “Anos depois, aqui estou eu, divorciada e vivendo em Nova York. Fui abençoada com quatro filhos maravilhosos. Tento ensiná-los a serem criativos. A serem ousados. A escolher fazer coisas porque acham que elas são as certas, não porque são as que todos estão fazendo. A ideia de ser ousada se tornou uma regra para mim. Claro, é tudo uma questão de percepção, porque fazer perguntas, desafiar as ideias e sistemas de crenças das pessoas e defender aqueles que não têm voz se tornou uma parte da minha rotina. Na minha cartilha, isso é normal.”

As melhores covers da última década, incluindo uma versão de "Borderline", de Madonna, feita pelo Flaming Lips.