Mãe de Whitney Houston critica ex-marido da cantora em livro

Segundo Cissy Houston, "teria sido mais fácil para Whitney ficar sóbria" se não fosse por Bobby Brown

Rolling Stone EUA Publicado em 29/01/2013, às 18h42 - Atualizado às 19h10

Cissy Houston
AP

Cissy Houston, mãe de Whitney Houston, escreve em seu novo livro que desde o início tinha dúvidas sobre o relacionamento da filha com Bobby Brown, e acrescenta que Whitney talvez não tivesse indo “tão fundo” nas drogas se eles tivessem se separado antes, informa a Associated Press.

Whitney Houston: a carreira da diva em fotos.

“Eu realmente acredito que a vida dela teria sido diferente”, Cissy escreve no livro de memórias Remembering Whitney. “Teria sido mais fácil para ela ficar sóbria e se manter sóbria. Em vez disso ela estava com alguém que, como ela, queria festejar. Para mim, ele nunca pareceu ser uma ajuda para ela do modo como ela precisava.”

Em entrevista, Cissy disse que não tem tido contato com Brown e não tem razão para isso. “Você gostaria que ele tivesse alguma coisa a ver com a sua filha?”, ela perguntou.

Lançando o livro cerca de duas semanas antes do aniversário de um ano da morte de Whitney, Cissy disse que escreveu a obra para que as pessoas não acreditassem no pior sobre a filha dela. Whitney foi encontrada morta na banheira do quarto onde estava hospedada em Beverly Hills. As autoridades disseram que a morte dela foi uma combinação de uso de cocaína, um problema no coração e afogamento. Enquanto Cissy escreve que Whitney – a quem ela às vezes chama de Nippy, apelido de infância da cantora – podia ser “maldosa” e “difícil”, ela também se recorda dela como “quase sempre a pessoa mais doce, mais amável do recinto”.

Quanto a Brown, ela o descreve como infantil e impulsivo, e até invejoso em relação ao sucesso de Whitney. Em 2005, Cissy visitou a casa do casal em Atlanta e encontrou as paredes pintadas com “grandes olhos brilhantes e rostos estranhos” e o rosto de Whitney cortado de uma foto de família. Da vez seguinte que ela foi lá, estava acompanhada de duas autoridades que ajudaram a levar Whitney para o hospital.

“Ela ficou tão brava comigo, me amaldiçoando”, escreve. “Eventualmente, depois de um bom tempo, Nippy deixou de ficar brava comigo. Ela percebeu que eu fiz o que fiz para protegê-la, e disse mais tarde que eu salvei a vida dela.”

A matriarca afirma ainda que ficou “extremamente aliviada” quando Whitney e Brown se divorciaram em 2007, e tem certeza de que se Whitney estivesse viva, ainda estaria cantando.