Pulse

Mais completa biografia de Elis Regina é relançada

"Ela conseguia reunir voz, interpretação e escolha de repertório como nenhuma outra”, afirma Regina Echeverria, autora de Furacão Elis

Guilherme Bryan Publicado em 19/01/2012, às 09h15 - Atualizado às 18h33

Furacão Elis chega às livrarias em edição ampliada

Ver Galeria
(12 imagens)

Aproveitando os 30 anos da morte da cantora Elis Regina, completados neste 19 de janeiro, acaba de ser lançada uma nova edição daquela que é considerada a biografia mais completa a respeito dela. Furacão Elis, de autoria da jornalista Regina Echeverria, chega às livrarias revista e ampliada. “Será que algum dia teremos uma cantora do Brasil com uma voz do outro mundo? Acho difícil. Ela conseguia reunir voz, interpretação e escolha de repertório como nenhuma outra”, frisa Regina, que também já escreveu livros a respeito de Luiz Gonzaga, Gonzaguinha e Cazuza, entre outros. “Ela era uma cantora de personalidade, e seu nome já está escrito na história da moderna MPB”, complementa.

Clique na galeria à esquerda para ver fotos de Elis Regina publicadas no livro Furacão Elis

Em mais de 240 páginas, a escritora relata desde a primeira vez em que Elis Regina cantou em público, aos 11 anos, no programa Clube do Guri (na Rádio Farroupilha, em Porto Alegre), passando pela consagração no I Festival de Música Popular Brasileira, na TV Excelsior, o qual venceu com a música “Arrastão”, até os últimos dias de vida, em São Paulo, no início de 1982.

Outro aspecto destacado no livro é a importância dela como lançadora de novos compositores, como Ivan Lins, João Bosco, Milton Nascimento e Gonzaguinha, entre outros. “De fato, Elis adorava lançar compositores. E, como todos os citados, e outros também, surgiram na mesma época, como Paulo Cesar Pinheiro, ela teve muita sorte de pertencer a essa geração. E também sabia muito bem que o que torna uma cantora realmente grande é a qualidade das músicas que interpreta”, acredita Regina. “A cada disco, Elis ouvia uma tonelada de fitas cassete que costumava receber. E ela ouvia realmente todas.”

Relembrando Elis: João Marcello Bôscoli e Pedro Mariano, filhos da Pimentinha, e o grande parceiro musical Jair Rodrigues contam suas memórias da cantora

No final, Furacão Elis traz a discografia completa e bastante detalhada de Elis Regina. Mas é claro que a jornalista e escritora tem os seus discos preferidos. “Me apaixonei por Elis em Samba Eu Canto Assim. E segui por Elis, Como e Por que, Elis e Tom, Falso Brilhante, Saudade do Brasil e Essa Mulher. Todos maravilhosos”, opina. Já com relação às homenagens, ela completa: “Hoje acredito que a obra de Elis terá sempre mais seguidores. Vejo no Facebook, por exemplo, as comunidades em nome dela e seus frequentadores. Quantas homenagens serão feitas este ano? Serão muitas, inclusive uma turnê da filha Maria Rita. Como se escreveu nas pichações no ano de sua morte: Elis Vive!”.

Novos discos trazem inéditas de Elis Regina. Clique aqui para saber mais.

Nara Leão

O 19 de janeiro também marca o nascimento de outra grande voz da MPB. Se estivesse viva, Nara Leão, considerada rival de Elis Regina, faria 70 anos nesta data. Clique aqui para saber mais sobre a carreira de Nara, além de ver vídeos e fotos da artista.