Mais de 100 gravações de Bob Dylan são descobertas depois de 40 anos

Registros são da época dos discos Nashville Skyline, Self Portrait e New Morning

Redação Publicado em 02/07/2014, às 20h07 - Atualizado às 22h41

 Em Nova York em 1970: o ex-rebelde cínico agora era um tranquilo pai de família
Divulgação

O colecionador de discos Jeff Gold encontrou recentemente 149 discos de acetato de Bob Dylan. Neles estavam faixas descartadas e registros de ensaio para os discos Nashville Skyline, Self Portrait e New Morning e versões de músicas de Johnny Cash, como “Folsom Prison Blues” e "Ring of Fire".

Bob Dylan através das décadas - 17 capas da Rolling Stone EUA estampadas pelo músico.

A descoberta foi feita em Nova York, em um apartamento no bairro Greenwich Village, na época alugado por Dylan para ser usado como estúdio. Vale lembrar que no ano passado foi lançado um volume intitulado Another Self Portrait (1969-1971): The Bootleg Series Vol. 10., contendo registros de gravações desse mesmo período.

Galeria: As oito maiores canções de Bob Dylan.

Gold afirmou que os discos estavam em excelentes condições após passarem mais de quarenta em uma caixa marcada como “discos velhos”. O homem que vendeu os itens ao colecionador notou o endereço da Columbia Records, o título de uma música de Dylan e percebeu que as gravações talvez fossem valiosas. A autenticidade delas foi confirmada por Bob Johnston, produtor do músico na época.

Entrevista RS Bob Dylan: 15 anos se passaram desde o álbum Time Out of Mind, de 1997, e Dylan, aos 71 anos, vivia o período de maior criatividade contínua de sua vida.

Até agora, ele colocou seis das gravações à venda no site RecordMecca. Entre elas estão versões diferentes de “Winterlude” e uma nova interpretação de “It Hurts me, Too”, que variam entre US$ 1.750 e US$ 2.500. O item mais caro é uma sequência alternativa de Nashville Skyline, que custa US$ 7 mil.

Saiba como foi feito o brilhante vídeo de “Like a Rolling Stone”, de Bob Dylan.