Maisie Williams, a Arya de Game of Thrones, fala sobre a complexidade de sua personagem

Britânica, que nunca havia trabalhado como atriz, entrou para a série quanto tinha 12 anos

SEAN T. COLLINS Publicado em 01/05/2013, às 15h19 - Atualizado às 15h49

Maisie Williams - Arya Stark
Divulgação

Quando você conversa com atriz britânica Maisie Williams, a primeira coisa que quer dizer a ela é “parabéns”. A talentosa jovem nunca havia atuado até conseguir o papel de Arya Stark, mas instantaneamente deu à personagem uma personalidade além de sua idade. O episódio desta semana foi uma amostra da habilidade dela em acessar emoções complexas em uma adolescente que presenciou mais horror à sua frente do que a maioria dos adultos jamais irá ver. Desde assistir a um assassino escapar impune a pedir pelo impossível em relação ao pai dela, Ned Stark, o episódio mostrou o melhor momento dela na série.

Esse episódio pediu que você fosse muito intensa, cena após cena. Quando Arya grita “queime no inferno!” para o Cão de Caça, bateu tão forte quanto se fosse uma luta de espadas. Como você conseguiu ficar naquela posição por tanto tempo?

Eu assisti a tudo junto, e realmente parece bem intenso. Mas não parecia tanto assim enquanto estávamos fazendo, porque aquela foi a última parte da cena que fizemos. Levou dois dias para gravar, e o dia inteiro estava levando àquela cena. Cheguei ao final, e simplesmente saiu. Mas todas aquelas cenas no último episódio foram gravadas em um longo período de tempo, e houve muitos momentos, como naquela grande cena de luta, que não precisaram de mim. Então pude rir muito, porque não estava diante das câmeras. Fazer tantas cenas com uma carga emocional pesada começa a te deixar um pouco deprimida e infeliz, então quando você tem tempo livre, precisa curtir.

Game of Thrones: as dez maiores diferenças entre livro e série.

O Cão de Caça comete assassinato e escapa, e dá para ver o quanto Arya fica desiludida com isso.

Sim, porque a família Stark é muito leal, e a coisa a certa teria sido matar o Cão. Realmente afeta ela quando eles só pensam no que os deuses pensam. Ela fica, tipo: “O que? Esse cara é culpado!”. Ela percebe que nem todo mundo segue as regras como os Stark. Ela é forçada a aceitar, mas tem aquele último impulso e pega a faca e corre. Eu acho que ela respeita a situação, mas, ao mesmo tempo, pensa: “Vocês estão loucos. Se quisessem esse cara morto, deveriam tê-lo matado”.

Arya foi exposta a tanta violência que é claro que ela teria essa visão. Se você quer que algo seja feito, simplesmente faça.

Ela mudou, especialmente por ter estado em Harrenhal [o castelo assombrado usado como uma prisão de tortura dos Lannister na segunda temporada] e ter visto tudo aquilo. Ela percebe que mesmo que seja justa, o resto do mundo não é. Se ela quer que algo seja feito, ela mesma vai ter que fazer. É assim que todo mundo faz, então ela vai ter que se equiparar. Senão, ficará para trás.

Ela claramente tem a família em mente neste episódio. Mas quando ela diz a Gendry “eu posso ser sua família”, parece que quer dizer outra coisa, embora ela mesma ainda não perceba.

Muitas pessoas têm visto isso de diferentes formas. Acho que em partes ela quis dizer: “Você vai voltar e ser parte de nós, parte de Winterfell”. Mas no fundo, queria dizer: “Eu não quero deixá-lo, ainda quero ver você o tempo todo”.

A Mão por Trás do Trono: George R.R. Martin fala sobre Tyrion, cenas de sexo e o próximo livro de As Crônicas de Gelo e Fogo.

Você e seus colegas de elenco estão sendo muito reconhecidos por trabalhar com um material muito difícil. Como você tem lidado com a fama?

Tudo aconteceu gradualmente. Quando tudo isso começou, eu tinha 12 anos, e quando o programa foi ao ar pela primeira vez, eu tinha 13, talvez 14. A primeira temporada não foi tão grande aqui [no Reino Unido] quanto nos Estados Unidos, e cresceu a cada temporada, então tivemos tempo para nos ajustarmos. Mas fomos aos Estados Unidos há um tempo, e foi uma loucura. Havia gente esperando fora do hotel. Não sei se poderia lidar com isso todos os dias. Eu nunca pensei em atuar antes disso, mas acabou que eu gosto de atuar, então estou apenas me divertindo fazendo que estou fazendo. Enquanto eu estiver me divertindo, não me importo com o que esteja acontecendo. Sei que Arya é uma personagem querida, e eu quero fazer jus a ela, então estou dando o meu melhor para pensar em como seria determinada cena e o que ela diria. Se outras pessoas concordam comigo, está ótimo!

As sete piores coisas que foram feitas na primeira temporada de Game of Thrones.

Há fãs de Arya que querem que algo bom aconteça a ela – para que ela não viva mais em fuga. E há aqueles que querem que ela se torne a mais fodona da série – que ela mate os inimigos e se aposse do Trono de Ferro. De que lado você está?

Nenhum dos dois. Nunca olhei dessa forma. Talvez ela veja a família dela novamente, mas muita coisa aconteceu – ela viu tantas coisas que nada mais será como antes. [Na minha visão] ela estaria a salvo porque é perigosa e ninguém quer mexer com ela. É assim que vejo. Não em casa com a família dela, porque isso é simplesmente... Isso é chato. Seria legal se ela ainda estivesse lá brigando, mas não sendo simplesmente “fodona”. Fico no meio termo.