Marcelo D2 mostra o lado brasileiro do hip-hop no SWU

Em dia de predomínio do gênero na programação dos palcos principais, o brasileiro apresentou sua mistura de rap e samba com convidados como Emicida

Patrícia Colombo Publicado em 12/11/2011, às 22h41 - Atualizado às 23h59

Marcelo D2 e Fernandinho Beatbox
Ricardo Ferreira/Divulgação

Marcelo D2 apresentou sua conhecida mistura de samba e hip-hop em “festa rap”, como o próprio caracterizou, no SWU, festival que teve início neste sábado, 12, em Paulínia, interior de São Paulo – cuja programação do dia nos palcos principais é sustentada majoritariamente por nomes do gênero.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

O show no palco Energia, iniciado às 18h, contou com os principais hits de D2, tanto em carreira solo quanto na época em que integrava o Planet Hemp (os “maconheiros mais conhecidos por Brasil”, segundo ele). “A Procura da Batida Perfeita", “A Maldição do Samba”, “A Arte do Barulho”, “Desabafo”, “1967”, “Pode Acreditar”, “Eu Tive um Sonho” (no qual homenageou nomes como Sabotage, Chico Science e Bezerra da Silva), "CB (Sangue Bom)", "Loadeando", “Gueto”, entre outras – percorrendo por diversos álbuns de sua carreira, como A Procura da Batida Perfeita (2003), Meu Samba é Assim (2006) e A Arte do Barulho (2008). Do Planet Hemp, executou “Mantenha o Respeito”, “Dig Dig Dig (Hempa)", "Queimando Tudo" e "Stab".

O local já estava bastante cheio e o público acompanhava as canções palavra por palavra em coro. Um dos pontos altos, claro, foi o espaço dado por D2 a Fernandinho Beatbox - momento conhecido nos shows do rapper, mas que, ainda sim, sempre consegue impressionar e empolgar ainda mais a plateia. Entre as músicas “tocadas” por Fernandinho com a boca estiveram “Sweet Dreams”, do Eurythmics, e “Sunday Bloody Sunday”, do U2 (nesta última sendo acompanhado pela guitarra de Alexandre Vaz). No que se refere aos convidados, deram as caras no palco Hélio Bentes, vocal do Ponto de Equilíbrio, Stephan (filho de D2), Jackson (que já tocou com o Planet Hemp), Renato Venom e Emicida, que chegou já na última música da apresentação, “Qual é?”.