Martinho da Vila lança Sambabook e se apresenta às novas gerações em projeto multimídia

Lançamento inclui CD duplo, DVD e Blu-Ray, discobiografia, fichário de partituras, portal na internet e aplicativos para smartphones e tablets

Antônio do Amaral Rocha Publicado em 17/05/2013, às 13h19 - Atualizado às 13h26

Martinho da Vila
Marcos Hermes/Divulgação

Com um investimento raro no mercado da música brasileira, Martinho da Vila, que completou 75 anos de idade e 45 de carreira, foi escolhido pela Musickeria do produtor Luiz Calainho para ter sua obra disponibilizada ao público em vários formatos. O custo total da iniciativa atingiu R$ 2,1 milhões, com patrocínios da Petrobras e Itaú Cultural e Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio de renúncia fiscal.

De todos os lançamentos, que poderão ser adquiridos separadamente e serão distribuídos para escolas, o mais importante é o Sambabook, que traz partituras de 60 canções do mestre do samba. “O samba nunca teve um projeto dessa envergadura e isso sensibiliza qualquer artista. Num projeto moderno, arrojado, dentro do seu tempo, o samba sempre fica pra depois”, afirmou Martinho em entrevista coletiva de imprensa nesta quinta, 16. “É a primeira vez que o samba tem um projeto desse tipo, bem cuidado, completo. E não só o samba, nenhum outro segmento da música brasileira tem um projeto dessa magnitude.” O Sambabook, isoladamente, já foi realizado anteriormente com a obra de João Nogueira.

Dentro do pacote, que inclui ainda portal na internet e aplicativos para smartphones e tablets, está um DVD e Blu-ray que contou com a participação de 24 nomes de expressão da música brasileira, de diversos gêneros e gerações: Paulinho da Viola, João Donato, Ney Matogrosso, João Bosco, Leci Brandão, Pitty, Luiz Melodia, Toni Garrido, Paula Lima, Pedro Luís, Zeca Baleiro, Elza Soares e Fernanda Abreu, além de Martinho cantando “Tom Maior” com a Orquestra Petrobras Sinfônica, que também executa a abertura do Concerto Negro, espetáculo concebido pelo sambista em 1988. O mesmo conteúdo poderá ser ouvido em áudio em dois CDs.

Martinho da Vila é um artista que sempre teve atuação multimídia. Além do samba e de ser destaque na ala de compositores da escola de samba Unidos de Vila Izabel, do Rio de Janeiro, e ainda a ligação com a música erudita, ele publicou livros, pesquisou a cultura afrobrasileira e sempre atuou politicamente. “Eu vou fazendo as coisas que eu penso. Depois de um tempo vejo que essas coisas estavam enquadradas dentro de uma certa importância. De algumas atitudes que eu tive, dá até pra pensar que eu fiz aquilo planejado, como um engajamento. Mas não, era uma coisa que eu estava sentindo”, ele contou. “E quando as coisas vão acontecendo, eu vou trabalhando o resultado. É como em um campo de futebol: o jogador está ali, quando a bola vem no pé, ele tem que jogar com ela.”

Para comemorar os lançamentos, Martinho da Vila fará shows em São Paulo nos dias 31 de maio (com a participação de Paula Lima), 1 e 2 de junho (com a presença de Maíra Freitas), no Auditório Ibirapuera. No repertório estarão clássicos como “Pequeno Burguês”, “Disritmia”, “Casa de Bamba”, “Canta, Canta Minha Gente”, “Pra que Dinheiro”, “Ex-Amor” e “Tom Maior”, entre outros.