Massacre em Las Vegas: homem mata mais de 50 e deixa 500 feridos ao atirar contra público de festival

Norte-americano Jason Paddock, de 64 anos, atirou da janela do quarto em que estava hospedado, no 32º andar de um hotel; Milícia terrorista Estado Islâmico reivindica ataque, mas FBI nega conexão

Rolling Stone EUA/Redação Publicado em 02/10/2017, às 12h17 - Atualizado às 21h17

Mulher que fazia parte do público do Route 91 Harvest Festival, que foi atacado por um atirador norte-americano

Ver Galeria
(2 imagens)

Atualizada às 20h37

Cinquenta e nove pessoas foram mortas e 527 ficaram feridas no ataque ocorrido no festival norte-americano Route 91 Harvest Festival, na noite do último domingo, 1. Jason Aldean fazia um show quando um homem começou a atirar no público que estava localizado perto do resort Mandalay Bay, em Las Vegas.

Nesta segunda-feira, 2, a agência de notícias do Estado Islâmico (EI) afirmou que a milícia terrorista reivindicou a autoria do ataque. Há informações de que o atirador, identificado pela polícia como Stephen Paddock, de 64 anos, se converteu ao islamismo há alguns meses.

“O ataque de Las Vegas foi executado por um soldado do Estado Islâmico e foi uma resposta a chamados para que Estados da coalizão [que lutam contra o EI] fossem atacados”, afirmou a agência Amaq.

Apesar disso, o FBI (Federal Bureau of Investigations) anunciou também nesta segunda, 2, que não foram encontradas conexões entre Paddock e o Estado Islâmico. “Determinamos, até agora, que não há ligação com o grupo terrorista internacional. Continuaremos trabalhando para ter certeza disso, e garantir que a paz possa retornar a essa comunidade.”

Um vídeo que está circulando pelas redes sociais captura o momento em que Aldean interrompe a apresentação após ouvir o barulho de tiros. Veja abaixo.

Segundo a polícia de Las Vegas, Paddock era morador da cidade de Mesquite, em Nevada. Ele atirou no público da janela do quarto em que estava hospedado, no 32º andar do hotel Mandalay Bay, mas desistiu do local após a fumaça da arma acionar o alarme de incêndio do dormitório, de acordo com a CNN. Paddock cometeu suicídio com um tiro logo antes da SWAT (Special Weapons and Tactics) encontrá-lo.

Antes do anúncio da agência de notícias do Estado Islâmico, a polícia afirmou não saber o motivo do ataque.

Erick Paddock, irmão do atirador, disse em uma entrevista ao Las Vegas Review-Journal que estava assustado com a notícia. “Não temos ideia de como isso aconteceu, não conseguimos imaginar por que ele faria algo assim. Tudo o que podemos fazer é mandar nossas sinceras condolências às famílias dos mortos e feridos.”