Matchbox Twenty estreia no Brasil e comprova a força dos hits com show em São Paulo

Banda liderada por Rob Thomas ainda se apresenta em Curitiba e no Rock in Rio, dias 18 e 20, respectivamente

Pedro Antunes Publicado em 18/09/2013, às 02h28 - Atualizado às 13h19

Matchbox Twenty tocou nesta terça-feira, 17, em São Paulo.

Ver Galeria
(9 imagens)

Os olhos vidrados de Rob Thomas vislumbravam apenas um aperitivo do que será visto no Rock in Rio, na próxima sexta-feira, 20. Aquele público de 4,8 mil pessoas presente no Espaço das Américas, em São Paulo, nesta terça, 17, contudo, parecia fazer valer o mesmo que os 85 mil presentes no festival carioca. A devoção era igual – talvez maior, se contarmos que o festival ainda terá, naquele dia, Nickelback e Bon Jovi para dividir a atenção com o grupo.

Exclusivo: “Eu nunca espero o sucesso”, diz Rob Thomas, do Matchbox Twenty.

Os fãs em São Paulo podem estar em menor número – e sequer lotaram a casa de shows –, mas fizeram barulho suficiente para impressionar a banda, que estreava em um palco brasileiro. “É a nossa primeira vez aqui”, disse o vocalista do grupo. “Eu te amo. Obrigado”, continuou, arriscando-se no português.

A banda deu início ao show quase no horário marcado, às 21h34, de forma impecável. Mesmo abrindo a apresentação com um single novo, “Parade”, o mais recente do disco North (2012), Rob Thomas e companhia logo perceberam uma resposta quente do público ao som do grupo. “Bent”, do álbum Mad Season (2000), seguiu o ritmo acelerado e foi acalentada, em seguida, pelo primeiro grande hit da noite.

O guia da Rolling Stone Brasil para o Rock in Rio.

“Disease” chegou como um furacão ao Espaço das Américas. Um reboliço se criou logo nas primeiras notas do riff inicial, carregado de distorção. A canção, criada por Thomas e Mick Jagger, vocalista dos Rolling Stones, mostra a qualidade do Matchbox Twenty em criar uma atmosfera suingada e dançante, mesmo com três guitarras no palco e versos sobre corações partidos.

“Essa noite é nossa”, disse o vocalista, para o delírio da plateia. “Eu sei que vamos nos divertir. Vamos tocar até nos expulsar daqui.” Mesmo com a licença poética, Thomas não mentiu, já que a banda apresentou um show maior do que vinha fazendo, com 2h20 de performance.

A sequência chegou com “How Far We’ve Come”, “3 A.M.” e “Real World”. A primeira balada só apareceu com “If You’re Gone”. Foi também o primeiro momento em que os celulares foram abaixados e casais dançaram abraçados.

Ainda que Thomas seja o centro das atenções, quem se destaca é o guitarrista Kyle Cook, com seu desfile particular de guitarras e um vistoso topete grisalho. É ele quem realmente comanda a banda, formada ainda por outros dois guitarristas (um deles alterna com o teclado), baixista e baterista. As frases do instrumento de Cook passeiam com leveza pelas letras agridoces cantadas por Thomas.

O vocalista, por sua vez, faz um trabalho elogiável como frontman. Com cabelos cortados bem curtos e colete preto, Rob Thomas sabe comandar o público. Levanta os braços nos refrãos, salta para pedir por gritos e é sempre atendido. Como um maestro, lidera a banda e mostra que as cordas vocais estão em forma. Apenas no fim da performance, em “Bright Lights”, a voz derrapou, sem que ele tenha perdido a compostura. Até mesmo com uma bandeira do Brasil ele apareceu, para cair ainda mais nas graças de quem estava ali presente. Todos pareciam satisfeitos.

O Matchbox Twenty tem quatro discos de estúdio, lançados ao longo de 17 anos e intercalados por álbuns solo de Thomas. Os hits, como era de se esperar, estiveram presentes. As eficientes "Unwell", "3 A.M.", "Real World" e "Back 2 Good" arrancaram suspiros das moças pela performance arrojada de Thomas.

E, mesmo diante de um público novo, a banda fez questão de executar, quase na íntegra, o disco North. No álbum, o líder do grupo mostrou que não perdeu a mão em cantar sobre desamores. Houve ainda espaço, no disco e no Espaço das Américas, para a voz de Cook, que interpretou a bela “The Way”.

Veio uma versão de "Don’t Change", cover de INXS, antes da despedida. Ao fim do grande hit “Push”, a banda se despediu do público paulistano sob aplausos efusivos. O grupo ainda se apresenta em Curitiba, nesta quarta-feira, 18, antes de embarcar para o Rio de Janeiro, com destino ao Rock in Rio, cujo show será no dia 20. Tenha esse show sido um aperitivo ou não, a impressão deixada de ambos os lados, de plateia e banda, não será esquecida tão cedo.