Mauricio de Sousa ganha livro-tributo na Bienal do Rio

Para comemorar o meio século de carreira do quadrinista, 50 artistas recriaram o universo de Turma da Mônica

Da redação Publicado em 10/09/2009, às 13h44

Os 50 anos de carreira de Mauricio de Sousa serão celebrados na 14ª Bienal do Livro do Rio, que começa nesta quinta, 10, no Riocentro. No álbum comemorativo MSP 50 (abreviação para "Mauricio de Sousa por 50 artistas brasileiros" e referência à companhia Mauricio de Sousa Produções), meia centena de profissionais recria os personagens criados pelo homenageado.

A trupe convidada inclui veteranos e novatos. No primeiro time, nomes como Laerte, Ziraldo, Angeli, Fernando Gonsales e Jô Oliveira. A nova geração é representada por Samuel Casal, os gêmeos Gabriel Bá e Fábio Moon, José Aguiar, Orlandelli, Fabio Yabu, Érica Awano, Vitor Cafaggi, Spacca e Rodrigo Rosa, entre outros.

Uma das curiosidades está na homenagem de Ivan Reis, cuja prévia revelou versões de Mônica e Magali alguns anos mais velhas que às da HQ original. Há um ano, Sousa também "envelheceu" seus personagens, com o lançamento da Turma da Mônica Jovem.

Sidney Gusman é o editor do projeto que dá nova cara aos velhos conhecidos Mônica, Cebolinha, Cascão, Magali e Chico Bento, entre outros. O próprio Sousa tem espaço no especial - no caso, página dupla para agradecer o tributo.

Ao portal Terra, Gusman afirmou que, diante da boa receptividade, há planos para uma segunda leva de quadrinhos baseada na Turma da Mônica. "Muita gente talentosa ficou de fora desta primeira edição", explicou.

O autor postou, via Twitter, a foto ao lado, em que segura a capa do livro. Com 192 páginas de papel cuchê, a obra sairá a R$ 98, capa dura, e R$ 55, capa flexível. A publicação será feita pela Panini Comics.

Com curadoria do ator e diretor Paulo José, a Bienal se estende até 20 de setembro. O MSP 50 terá lançamento oficial no dia 12, com presença do cartunista, e não será a única novidade envolvendo o nome de Sousa. O encontro literário também marcará a chegada de gibis da turma em inglês (Monica's Gang) e espanhol (Mónica y su Pandilla), além de uma coletânea especial com histórias do Bidu (o primeiro personagem do cartunista; a Mônica só foi criada quatro anos depois).