Max Cavalera: 'Se eu continuasse no Sepultura, talvez a banda seria uma merd*'

Artista saiu do grupo depois do lançamento do disco Roots, em 1996

Redação Publicado em 10/07/2020, às 19h11

None
Max Cavalera, em ação com o Soulfly (Foto: Peter Klaunzer/Keystone/AP)

Em entrevista ao Kerrang!, Max Cavalera, ex-Sepultura, comentou sobre a saída da banda em 1996, depois do lançamento do disco Roots (via Whiplash).

Quando questionado sobre a pressão de fazer o álbum, o músico respondeu: "Quando você tem Sharon Osbourne dizendo coisas tipo: 'Eles estão prestes a se tornar o próximo Metallica' ... Mas quando penso no Metallica, fico contente por nunca termos nos transformado naquilo. Eu gosto dos quatro primeiros discos, mas depois disso, mais nada. O material do início da carreira - 'Ride The Lightning', especialmente - é o que esse tipo de música era e nunca mais foi".

+++ LEIA MAIS: Cazuza, Sepultura e mais: 7 produções sobre a história de músicos brasileiros [LISTA]

Ele continuou: "Se eu tivesse continuado no Sepultura, talvez a banda virasse uma merd*. Sucesso pode destruir as pessoas. Você não tem mais com raiva pois é muito rico e não tem do que reclamar. Você não tem nada para se rebelar. Contra o que você vai se revoltar - contra ter que contar muito dinheiro? Isso é totalmente estúpido".

O artista também refletiu como seria se ele decidisse sair da banda atualmente, com as redes sociais. "Definitivamente seria bem diferente, haveria muito mais falatório sobre isto, pra começar, pois na época as pessoas nem sabiam que eu tinha saído. Escrevi uma carta e enviei para as revistas explicando o motivo e até hoje muitos não entenderam... Eu saí porque queriam coisas que não eram nosso lance - grandes empresários de Los Angeles e coisas de rockstars que eu nunca imaginei que a gente precisasse."

+++ LEIA MAIS: Derrick Green não quer saber de reunião com Max Cavalera no Sepultura: ‘É difícil para as pessoas seguirem em frente’

O artista completou: "Não tenho este sonho de ser rockstar. Ainda hoje não ligo pra estas coisas. Minhas músicas não estão no rádio e isto não me importa nem um pouco, não componho pra isto. Digo que os Grammys são como hemorróidas, eventualmente todo idiota terá. Mas tudo depende se de você, sua carreira é sua responsabilidade". 


+++ RAEL | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO