Médico do baixista morto do Slipknot é acusado de homicídio

Doutor Daniel Baldi é processado por outros sete casos de homicídio culposo

Redação Publicado em 06/09/2012, às 15h23 - Atualizado às 15h58

Paul Gray foi encontrado morto em um quarto de hotel no dia 24 de maio
AP

Cerca de dois anos depois da morte de Paul Gray, baixista do Slipknot, por overdose, o judiciário do estado norte-americano de Iowa decidiu entrar com uma acusação de homicídio culposo (sem a intenção de matar) contra o antigo médico do músico, Daniel Baldi. De acordo com o semanário inglês NME, ele prescreveu as altas quantidades de analgésicos que causaram o óbito.

Resultado de autópsia revela causa da morte de baixista.

Esta não é a primeira vez que Baldi recebe este tipo de acusação. O médico responde em outros sete casos iguais. As autoridades sanitárias recentemente fecharam a clínica de Baldi sem qualquer explicação.

Se for considerado culpado por todas as acusações, Baldi ficará 16 anos na cadeia. Seu advogado, Guy Cook, contudo, está confiante e diz que as denúncias são sem precedentes.

Paul Gray foi encontrado morto no dia 24 de maio de 2010, vítima de overdose por analgésicos. A autópsia revelou que Gray era portador de uma grave doença cardíaca. Ano passado, o vocalista da banda, Corey Taylor, revelou que o novo álbum do Slipknot será inteiramente feito em homenagem ao baixista.