Médicos se aproveitaram de Michael Jackson, diz ex-mulher do cantor

Debbie Rowe, mãe de Prince e Paris, deu depoimento nesta quarta, 14

Redação Publicado em 15/08/2013, às 16h41 - Atualizado às 20h02

Michael Jackson
AP

O processo movido pela família de Michael Jackson contra a produtora AEG Live ganhou novos detalhes nesta quarta, 14, com o depoimento de Debbie Rowe, ex-mulher do cantor e mãe de dois dos filhos dele. Segundo ela, o Rei do Pop foi vítima da ambição dos médicos contratados pela empresa.

Em 25 de junho de 2009, o mundo perdeu a maior estrela pop que já existiu: Michael Jackson. Relembre a trajetória do astro, dos tempos de Jackson 5 aos ensaios para a temporada de shows This Is It, em grandes reportagens da Rolling Stone.

“Seu medo da dor era incrível. Acho que os médicos se aproveitaram dele dessa forma”, disse ela diante do juiz, segundo noticiou a agência Reuters. Debbie afirma que as medicações para dor foram excessivas e levaram o cantor a morte em 2009.

Os 15 tipos de videoclipe mais anos 80.

Debbie esteve casada com Michael Jackson entre 1996 e 1999 e é mãe de Prince, 16, e Paris, 15, mas não tem a guarda dos filhos. O depoimento dela faz parte do processo movido pela mãe do cantor, Katherine Jackson, contra a produtora AEG Live para investigar o envolvimento da empresa, que contratou o médico Conrad Murray, na morte do cantor. Murray foi condenado a quatro anos de prisão por ter dado a Michael uma dose fatal do anestésico Propofol.