Melhor amigo de Bob Dylan escreve biografia sobre o cantor

Com Dylan And Me, Louie Kemp quebra silêncio sobre a carreira e amizade com o músico

Rolling Stone EUA Publicado em 10/06/2019, às 16h34

None
Bob Dylan (Foto: Landmark / MediaPunch /IPX)

Antes do Bob Dylan subir ao palco para o O Último Concerto de Rock, em novembro de 1976, ele procurou Bill Graham, e disse que só tocaria se a equipe do Martin Scorsesse concordasse em filmar duas das quatro músicas que ele planejava tocar durante a sua apresentação. "Vou colocar Louie no palco ao lado de você e Marty", disse Dylan. "Ele vai te dizer quando você pode me filmar."

+++ 50 anos de Nashville Skyline do Bob Dylan: 10 coisas que você não sabia sobre o disco

O Louie em questão, era Louie Kemp. O melhor amigo de Dylan desde que se conheceram no acampamento de verão em 1953. Kemp havia cruzado a América com Dylan sendo o produtor do Rolling Thunder Revue, documentário dirigido por Scorsese sobre a turnê de Dylan, e agora ele documentou como foi ser o promotor de shows mais famoso da história ao lado de um maiores diretores da indústria cinematográfica. 

Há décadas, os momentos insanos do O Último Concerto de Rock Last Waltz é uma das muitas histórias que Kemp tem contado para os amigos próximos, mas desta vez,  ele finalmente documentou tudo em seu novo livro, Dylan & Me: 50 Years of Adventures, que será lançado no dia 15 de agosto.

"Este livro mostra o lado realista de Dylan", diz Kemp. “Para mim, ele sempre foi Bobby Zimmerman e essas são todas as histórias de Bobby Zimmerman. Bob Dylan é seu lado comercial. Eu queria mostrar uma perspectiva totalmente diferente sobre ele do que qualquer um já ouviu antes. ”

Vários escritores tentaram se aproximar de Kemp nos últimos anos para tentar contar as histórias de Dylan, mas ele recusou todos. "Eu sempre tive no fundo da minha mente de que, um dia, eu escreveria meu próprio livro compartilhando todas essas histórias que eram tão interessantes e significativas para nós", conta. "Mas sempre empurrei isso pra frente."

Kemp decidiu publicar o livro para evitar interferências externas. Friedman escreveu a introdução e o ajudou a editar os primeiros capítulos, mas Kemp que escreveu a maioria do livro.

A obra começa com seu primeiro encontro com Dylan no acampamento. "Nós dois viemos do norte de Minnesota", diz ele. "Nós dois viemos de famílias judias de classe média no mesmo ambiente". Kemp também fala sobre o momento em que ele considera ser a primeira apresentação pública de Dylan: em 1954, quando ele interpretou "Annie Had a Baby", do Hank Ballard no Talent Night.

Eles permaneceram juntos durante a faculdade, mas perderam contato em janeiro de 1961, quando Dylan se mudou para Nova York. Em 1974, Kemp foi convidado a se juntar a Dylan na turnê de 1974 com a banda. O músico gostava de viajar pelo país com seu velho amigo e, em determinado momento, pediu para que ele produzisse o Rolling Thunder Revue em 1975. "Você é um homem de negócios de sucesso", disse Dylan. "Você não pode negar que viu tudo de dentro. Se existe alguém que pode juntar tudo isso, essa pessoa é você."

Grande parte do livro se concentra em suas aventuras no Rolling Thunder Revue, mas os fãs de Dylan ficarão fascinados com o relato de Kemp sobre a conversão religiosa de Dylan no final dos anos 1970 e seu retorno às raízes judaicas na década seguinte. 

"Como a maioria dos amigos, nós temos os nossos desentendimentos", escreve Kemp no livro. "Nós resolvermos a maioria deles, e ultimamente eles fizeram a nossa amizade ser mais forte." 

"Nós ainda somos amigos, mas não somos ligados como éramos antes", ele conta. "Já passaram mais de dez anos [desde que eu vi ele pessoalmente]. "[O que aconteceu] é algo que eu não gostaria de falar sobre. Isso é entre Bob e eu."

A cinebiografia Rolling Thunder Revue: A Bob Dylan Storychega na plataforma de streaming, Netflix, no em 12 de junho. 

+++Rocketman, Bohemian Rhapsody e mais: as maiores cinebiografias de todos os tempos