Dez grandes versões de músicas do Prince

Redação Publicado em 07/06/2016, às 17h40 - Atualizado às 18h57

Galeria - Covers Prince - Abre
Redação

Poucos artistas foram capazes de deixar um legado musical tão valioso e diverso quanto Prince. Conhecido por incorporar elementos do rock psicodélico, blues, funk, R&B e da música eletrônica em suas composições, ele definiu e redefiniu como ninguém o conceito de música pop – não à toa se tornou um dos maiores ícones e referências musicais de todos os tempos.

O fatídico 21 de abril foi um baque não apenas para os fãs do cantor, mas também para toda a comunidade artística. Não foram poucos os tributos prestados mundo a fora ao músico nesse intervalo de tempo. De Paul McCartney a Mac DeMarco, as homenagens ultrapassaram gêneros musicais e barreiras geracionais, reafirmando o caráter atemporal e multifacetado das composições do eterno Prince.

Ouça algumas das covers recentes – e outras nem tanto – feitas em homenagem ao Artista.


Beck encerrou a apresentação dele no Beale Street Music Festival, em Memphis, nos Estados Unidos, com uma releitura da canção “Raspberry Beret”. A versão do cantor para a faixa do disco Around the World In a Day (1985) é levada no violão e acompanhada pela banda de apoio dele.



O músico já interpretou a canção em outras ocasiões, entre elas em um dos shows da turnê do álbum Sea Change (2003).


Paul McCartney também prestou as devidas homenagens a Prince. Durante uma apresentação em Minneapolis (cidade norte-americana do estado de Minnesota que foi residência do artista )o ex-beatle tocou “Let’s Go Crazy”, a faixa de abertura de Purple Rain.



Durante a apresentação, McCartney não escondeu a admiração que nutre pelo artista. Segundo o Star-Tribune, um dos veículos locais, o músico ainda declarou: “Amava aquele cara. Obrigado, Prince, por escrever tantas canções bonitas, tanta música.”


Watch this on The Scene.

Mac DeMarco reinterpretou a faixa “It’s Gonna Be Lonely” – que foi lançada originalmente em 1979 como parte do álbum autointitulado de Prince – em um vídeo tão peculiar e esquisito quanto a carreira artística dele.


Prince gravou “Nothing Compares 2 U” em 1985 para o álbum de estreia do projeto paralelo dele The Family. Gravado pela Paisley Park Records – selo fundado pelo cantor –, o disco não teve grande repercussão por parte da crítica ou dos fãs.



Cinco anos mais tarde, em 1995, a cantora irlandesa Sinéad O’Connor tornou a canção famosa ao interpretá-la no segundo trabalho dela, I Do Not Want What I Haven’t Got.



Vinte anos depois da releitura da irlandesa, quem revisitou a melódica composição de Prince foi o vocalista do Soundgarden e do Audioslave, Chris Cornell, em uma transmissão de uma rádio norte-americana. No dia 21 de abril, algumas horas após a notícia da morte de Prince ter sido divulgada, Cornell soltou em conta oficial do YouTube a versão finalizada de “Nothing Compares 2 U”.


O Muse interpretou a faixa “Sign O’ The Times”, do álbum de mesmo nome lançado em 1987.



A banda de rock sinfônico tocou a canção à sua maneira, transformando o suingue ritmado e repleto de slaps de baixo da composição original em uma versão mais pesada, com guitarras rasgadas e distorcidas.


Bruce Springsteen aproveitou a abertura de um show dele na casa de shows Barclays Center, em Nova York, para homenagear Prince. O autor de “Born In The U.S.A.” tocou uma impactante cover de “Purple Rain”, um dos maiores clássicos do artista.



Durante a apresentação, Springsteen e a E Street Band – banda que o acompanha em shows desde 1972 – foram iluminados por uma luz púrpura. O músico ainda declarou à plateia: “Prince para sempre! Deus o abençoe!”


Lançada originalmente como parte do aclamado Purple Rain, “Darling Nikki” causou polêmica ao tratar abertamente de masturbação e por conter uma mensagem subliminar nos segundos finais da canção. Em 2003, a banda de rock Foo Fighters gravou uma cover da controversa faixa como lado B do single “Have It All”.



A canção também foi reinterpretada pela cantora Rihanna como parte da turnê Loud, em 2011.


Depois de um hiato de quase cinco anos, o LCD Soundsystem aproveitou as duas performances no Coachella 2016 para homenagear dois ícones da música que morreram neste ano.



Após tocarem a clássica “Heroes”, de David Bowie, o grupo liderado por James Murphy emplacou a cover de “Controversy”, lançada por Prince em 1981 no álbum de mesmo nome.


Beyoncé resgatou a cover dela para a balada melódica de Purple Rain em uma apresentação da Formation World Tour em Dallas, no Texas, Estados Unidos. A autora de Lemonade já havia interpretado a canção anteriormente no festival inglês Glastonbury, em 2011.



Sentada no chão do palco, Beyoncé cantou sozinha em uma performance intensa. Ela já havia homenageado o cantor morto em 21 de abril no primeiro show da turnê ao iluminar o palco com uma luz púrpura e executar uma gravação de “Purple Rain”.