Meryl Streep não aprova o uso do termo 'masculinidade tóxica'

A atriz deu sua opinião sobre a popularização de expressões que, para ela, atrapalham mais do que ajudam

Redação Publicado em 31/05/2019, às 12h11

None
Meryl Streep em evento da segunda temporada de Big Little Lies (Foto:Evan Agostini/Invision/AP)

Durante um painel de divulgação da segunda temporada de Big Little Lies, Maryl Streep, uma das artistas por trás da criação do movimento Time's Up, falou sobre comportamento tóxicos tão presentes na sociedade atual e que são combatidos pela iniciativa fundada em 2018.

A atriz criticou o uso do termo "masculinidade tóxica", e afirmou que isso pode ser ofensivo para os homens no geral. Segundo ela, o uso da expressão "machuca" as pessoas do sexo masculino.

+++Vítimas de Harvey Weinstein fecham acordo de US$ 44 milhões por abuso sexual

"Mulheres também conseguem ser bem tóxicas", acrescentou, antes de sugerir que deveriam classificar essas atitudes como "pessoas tóxicas" .

Meryl continuou: "Nós temos nosso lado bom e nosso lado ruim. Acho que rótulos ajudam menos do que se tentássemos uma comunicação direta, entre dois seres humanos. Estamos todos juntos no mesmo barco. Precisamos fazer isso funcionar

Em 2015, ela já havia dito que rejeita o termo "feminista", e prefere ser chamada de "humanista".

+++ De Zeca Pagodinho a Kendrick Lamar, Djonga escolhe os melhores de todos os tempos