#MeToo: os 'figurões' que perderam o emprego depois de abusos escancarados

Movimento ganhou força em 2017

Redação Publicado em 11/11/2020, às 10h08

None
Harvey Weinstein (Foto: Chris Pizzello/Invisio/AP) e Kevin Spacey no Bits & Pretzels (Foto: YouTube/Reprodução)

O ano de 2017 foi marcado pelo movimento #MeToo, após a atriz Alyssa Milano publicar no Twitter um pedido no qual falava para todas as pessoas que já sofreram assédio sexual usarema hashtag. Harvey Weinstein, produtor e um dos homens mais poderosos de Hollywood, foi acusado de abuso por diversas mulheres, as quais encorajaram outras a também expor os abusadores.

Com isso, diversos "figurões", sejam produtores, diretores ou atores, da indústria foram desmascarados e também perderam o emprego. De acordo com o New York Times, 201 homens foram derrubados pelo movimento, dos quais 54 foram substituídos por mulheres e 70 por outros homens.

+++LEIA MAIS: Mesmo demitido, Johnny Depp receberá R$ 53 milhões por Animais Fantásticos 3

Veja abaixo "figurões" de Hollywood que perderam o emprego depois de abusos escancarados pelo #MeToo.


Harvey Weinstein

Ele foi acusado por dezenas de mulheres de má conduta sexual, como assédio, abuso e estupro. Weinstein foi acusado criminalmente em Manhattan de agredir sexualmente duas mulheres. A empresa dele, Weinstein Company faliu, mas foi comprada e rebatizada como Lantern Entertainment.

Weinstein, demitido da própria produtora de filmes, disse que todos os encontros foram consensuais. Ele foi substituído por Andy Mitchell e Milos Brajovic, copresidentes da Lantern Entertainment.


Kevin Spacey

Dispensado de House of Cards, série original Netflix, Kevin Spacey ainda foi substituído no filme Todo o Dinheiro do Mundo, após ser acusado de ter abusado de um menor de idade. O ator se desculpou publicamente, mas também teve acusações de mais homens por ele se comportar de forma inadequada.

Spacey foi substituído por Robin Wright em House of Cards. Já em Todo o Dinheiro do Mundo, ele foi trocado por Christopher Plummer.

+++LEIA MAIS: Família de Jason Momoa passou fome quando ele saiu de Game of Thrones


Louis C.K.

Louis C.K. perdeu um contrato de produção com a FX depois de admitir vários casos de má conduta sexual, incluindo se masturbar na frente de várias mulheres.

Além disso, a distribuição de um filme que ele escreveu e estrelou foi cancelada. O comediante ainda perdeu um papel como dublador em Pets: A Vida Secreta dos Bichos. No entanto, C.K. voltou a se apresentar em alguns clubes de comédia de Nova York.


T.J. Miller

Um programa dele para o Comedy Central foi cancelado e ele foi retirado do cargo de porta-voz do medicamento Mucinex depois de uma mulher tê-lo acusado de bater e assédio sexual enquanto estava na faculdade. Miller negou as acusações.

+++LEIA MAIS: Ney Matogrosso entrevista Duda Brack, Duda Brack entrevista Ney Matogrosso: Pulsações artísticas, sexualidade e experimentações


Jeff Franklin

Jeff Franklin foi demitido do cargo de showrunner de Fuller House depois de acusações de que ele era verbalmente abusivo e de ter feito comentários sexualmente carregados na sala dos roteiristas e no set de filmagens.

No seriado, Franklin foi substituído por Bryan Behar e Steve Baldikoski.


+++ MANU GAVASSI | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes