Mexicana dirigirá filme sobre mineradores chilenos que ficaram presos embaixo da terra em 2010

Patricia Riggen já está no Chile conversando com as vítimas para preparar The 33

Redação Publicado em 12/09/2012, às 10h09 - Atualizado às 11h25

Patricia Riggen
AP

Em 2010, o mundo todo acompanhou o drama de 33 mineradores do Chile que ficaram presos debaixo da terra depois do colapso da mina de San José. Desde que eles foram resgatados e o drama deles chegou ao fim, produtores hollywoodianos tentam levar a história para os cinemas. Agora o projeto foi adiante. A diretora mexicana Patricia Riggen foi contratada para assumir o longa, de acordo com o site ComingSoon.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

O produtor Mike Medavoy a escolheu para assinar The 33 depois de ver um filme dela, Sob a Mesma Lua, estreando no Festival de Sundance com direito a aplausos em pé do público. O filme recebeu distribuição nos Estados Unidos e bateu recorde de público para um filme em espanhol em sua abertura.

“Vi no filme dela não somente seu talento, mas também a humanidade e o humor de que essa produção realmente precisa. Patricia tem o coração e a sensibilidade para dar vida à essa história de uma forma que reflita corretamente tudo pelo que passaram os mineradores e suas famílias”, justificou Medavoy.

Riggen já está no Chile conversando com as vítimas para preparar a produção de The 33. “Tem sido uma experiência extraordinária conhecer os mineradores pessoalmente e ouvir deles o relato detalhado do tempo que passaram sob a terra. Desde o resgate deles, há dois anos, a história real da inacreditável sobrevivência deles não foi contada. Mesmo no momento mais tenso da vida deles, eles se esforçaram para se manterem unidos. O acidente suscitou o que havia de melhor e pior neles. Mas no fim o espírito humano triunfou e todos eles saíram de lá vivos. Me sinto honrada de ter a oportunidade de levar a história extraordinária deles ao mundo”, disse a diretora.

O longa trará tanto o ponto de vista das vítimas do acidente, quanto de suas famílias. Os 33 trabalhadores colaboraram na hora de escrever o roteiro, que ainda dá detalhes dos primeiros 17 dos 69 dias, antes de ter sido feito contato. Essas informações estavam sendo mantidas em segredo por eles como parte de um “pacto de silêncio”.

Estima-se que o resgate deles foi acompanhado por um bilhão de pessoas, tornando essa uma história de apelo popular no mundo todo. As filmagens acontecerão todas no Chile, a partir de janeiro, mas a produção será falada em inglês.