Aparentemente dopado, Michael Jackson diz em gravação que gostaria de dedicar This Is It aos filhos

Conversa do cantor com o médico Conrad Murray foi apresentada em julgamento; ouça aqui

Redação Publicado em 05/10/2011, às 18h07 - Atualizado às 18h43

Caso Michael Jackson: ouça gravação de conversa do cantor com o médico Conrad Murray
Foto: AP

Uma conversa de Michael Jackson com Dr. Conrad Murray, cuja gravação foi apresentada no julgamento do médico (acusado de homicídio culposo pela morte do cantor) nesta semana, foi divulgada pelo site TMZ.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

A gravação mostra o Rei do Pop aparentemente sob o efeito de alguma substância (“agentes desconhecidos”, segundo os promotores do caso), falando sobre a carreira e os filhos. Murray gravou o diálogo em seu iPhone no dia 10 de maio de 2009, às 9h05 no horário local. Jackson morreu em 25 de junho do mesmo ano, em decorrência de uma overdose de Propofol e outros sedativos.

O cantor diz, durante a conversa (em alguns momentos é até difícil compreender as palavras dele), que queria dedicar os shows da turnê This Is It aos seus filhos. “Eu os amo porque não tive infância”, afirma.

Murmurando, Michael também cita os Beatles e Elvis Presley ao falar da superprodução de This Is It ("O Elvis não fez. Os Beatles não fizeram. Temos que ser fenomenais. Quando as pessoas deixarem o meu show, quero que digam: 'Eu nunca vi algo assim na minha vida'") e a vontade de criar um hospital para crianças ("O maior do mundo. O Michael Jackson's Children Hospital. Vai ter um cinema, uma sala de jogos").

Ouça abaixo o registro:

video platformvideo managementvideo solutionsvideo player

A gravação, apresentada pelo promotor David Walgren durante o julgamento, foi descoberta pelos investigadores do caso após terem apreendido o celular de Murray.