Michael Jackson é enterrado 70 dias após sua morte

Caixão folheado a ouro foi adornado com coroa pelos filhos do cantor, para simbolizar o descanso final do Rei do Pop

Da redação Publicado em 04/09/2009, às 11h40

Passados 70 dias de sua morte, Michael Jackson foi enfim enterrado na noite de quinta, 3, no cemitério Forest Lawn, nos arredores de Los Angeles, em cerimônia privada para cerca de 200 convidados.

Ao contrário do tributo público de 7 de julho, apelidado "showneral", o funeral foi restrito a amigos e família. Entre os convidados, estavam Elizabeth Taylor (que se recusou a ir no evento de agosto, por considerá-lo midiático e de mau gosto), o reverendo Al Sharpton, Chris Tucker, a ex-mulher Lisa Marie Presley, o produtor Quincy Jones e Macaulay Culkin (que, em recente rodada de boatos, chegou a ser tomado por pai do filho mais novo de Jackson) e sua namorada, Mila Kunis.

Por volta das 20h (0h de Brasília), o carro fúnebre chegou, último numa caravana com mais de 20 automóveis. A cerimônia durou 90 minutos e foi resguardada por ostensiva frota de seguranças, além de várias ruas fechadas no entorno do cemitério - a sensação era de um evento presidencial, segundo o The New York Times. Fãs se amontoavam nas barreiras impostas à região bloqueada. Em número bem menor, 460 profissionais da imprensa de todo o mundo foram credenciados para estar no local - do lado de fora, pois o evento estava restrito aos portadores de convite.

Após o serviço fúnebre, a família liberou comunicado à imprensa. "Michael Jackson alcançou seu destino final às 21h43 [horário de Los Angeles], no Grande Mausoléu no Glendale Forest Lawn Memorial Park."

O caixão folheado a ouro foi carregado por irmãos do astro: Jackie, Tito, Jermaine, Marlon e Randy Jackson. "No começo da cerimônia, os filhos de Jackson (Prince Michael, 12 anos, Paris Michael, 10, e Prince Michael II, 7) colocaram uma coroa no caixão do pai para simbolizar a última parada do Rei do Pop", continuou a nota oficial.

Gladys Knight, cantora de soul lançada pela Motown nos anos 60, cantou o hino gospel "His Eye Is on the Sparrow". O compositor Clifton Davis entoou "Never Can Say Goodbye", hit que escreveu em 1971 para o Jackson 5.

Encerrado o funeral, a família disse ter realizado recepção ainda mais privada em restaurante de Pasadena, cidade próxima a Los Angeles. Os custos da cerimônia, inicialmente marcada para 29 de agosto (quando Michael completaria 51 anos), foram cobertos pelo espólio de Jackson. "Os gastos são extraordinários, mas Michael Jackson era extraordinário", disse o procurador Jeryll Cohen.

Os planos de enterrar o cantor no rancho Neverland, arduamente defendidos pelo irmão Jermaine em mais de uma situação, não vingaram. No cemitério Forest Lawn, que investe em segurança pesada ao longo do ano, a lápide de Jackson é vizinha de Walt Disney, Clark Gable, Lucille Ball e Nat King Cole, entre outros.

William Martin, porta-voz do cemitério, evitou discutir reforço na segurança. Disse, apenas, estar "muito ciente do que pode acontecer no futuro próximo", e de que os diretores do espaço estavam "tomando os passos necessários". O mausoléu do astro é monitorado por câmeras e vigias.

"As crianças são meigas e inocentes"

As investigações sobre a morte do cantor continuam. O médico particular de Jackson, Dr. Conrad Murray, deverá ser indiciado por homicídio culposo - o laudo da autópsia do artista determinou que a parada cardíaca fatal foi causada por combinação de drogas, entre elas o anestésico cirúrgico Propofol. O advogado de Murray desmente as acusações de que seu cliente teria sido responsável pela morte.

Na manhã de 25 de junho, a polícia encontrou um quarto bagunçado na mansão alugada em Bel-Air, onde o cantor morava com seus filhos. Além de remédios (que incluíam medicação intravenosa) e tanques de oxigênio, oficiais descobriram algumas anotações feitas à mão - uma delas trazia a frase "as crianças são meigas e inocentes". Mais detalhes estão na próxima edição da Rolling Stone Brasil, na reportagem "Lutando Até Depois do Fim", de Claire Hoffman. Ela também assinou a matéria sobre os últimos dias de Jackson na RS Brasil de agosto.