Michael Jackson ligou desesperado para amigo antes de noite com Lisa Marie Presley em busca de conselhos sexuais

O cineasta Gotham Chopra relembrou que o astro do pop buscou a ajuda dele no início do relacionamento com a filha de Elvis Presley

Redação Publicado em 06/04/2020, às 07h49

None
Michael Jackson e Lisa Marie Presley (Foto: AP Photo / Laurent Rebours)

Entre diversas polêmicas e excentricidades, o relacionamento de Michael Jackson com Lisa Marie Presley foi marcado por uma ligação desesperada do astro do pop para o cineasta e amigo Gotham Chopra em busca de conselhos sexuais.

De acordo com Express UK, logo após se casar com a filha de Elvis Presley, Jackson estava preocupado em impressionar a parceira. Em um post compartilhado no site oficial de Chopra, o diretor contou sobre a inesperada ligação que recebeu do amigo. 

+++ LEIA MAIS: Fãs reagem às polêmicas do novo documentário sobre Michael Jackson

“De volta aos tempos da faculdade. Uma noite, ele ligou para mim em pânico  [...] Ele tinha acabado de se casar com Lisa Marie Presley  e precisava de um conselho, um conselho sexual.”

O cineasta completou: “Ele estava incrivelmente nervoso e disse que queria garantir que Lisa estava impressionada com os “movimentos” dele [...] Eu respondi com uma palavra: ‘preliminares’.’Sério?’, ele respondeu. ‘As garotas realmente gostam disto?’”. 

Jackson e Lisa se conheceram durante o primeiro casamento dela, mas só oficializaram o relacionamento 20 dias após o divórcio da cantora com Danny Keough. De acordo com Chopra, conforme o casamento dos dois amigos “evoluiu”, as conversas passaram a ser sobre o futuro dos filhos deles.

+++LEIA MAIS: Michael Jackson chorou quando Marlon Brando o questionou sobre abusos sexuais

“Nós falávamos sobre como seria ótimo para nossas crianças crescerem juntas, se tornarem bons amigos como nós e colocarem fogo no mundo”, disse o diretor.

Apesar dos rumores e acusações contra Jackson, Chopra afirmou que o amigo era, na verdade, “digno e apropriado”. Ele disse: “Em todos os meus anos com ele, em todos os momentos, Michael não era nada além de digno e apropriado [...] Nunca fez nada que possa ser considerado escandaloso comigo. Era realmente simples”.


+++ DISCOGRAFIA DO THE STROKES: OS ALTOS E BAIXOS DOS ARRUACEIROS DE NOVA YORK