“As Mina Pira” vira lema de Peaches no DJ set da cantora no Lollapalooza

Com direito a banho de espumante na plateia e muito teatro, a cantora fez apresentação mais visual do que auditiva

Stella Rodrigues Publicado em 07/04/2012, às 23h20 - Atualizado em 08/04/2012, às 01h15

Peaches
Divulgação/Lollapalooza Brasil

Foi embora triste quem esteve no DJ set da cantora Peaches no Lollapalooza e esperou ansiosamente que ela cantasse o que é até hoje seu maior hit, “Fuck the Pain Away”, sucesso popularizado no filme Encontros e Desencontros, de Sofia Coppola. Possivelmente, a ausência se deu porque Peaches começou sua performance com quase dez minutos de atraso – muita coisa em um festival com o line-up tão cheio e horários tão justinhos. Depois de uma hora de show, misturando discotecagem e faixas de seus discos, a cantora se despediu às pressas, afirmando que estava sendo expulsa do palco e se desculpando.

Antes disso, promoveu a mistura certa de música, performance teatral e letras de conteúdo bastante indiscreto – todas características pelas quais é conhecida. Começou a apresentação já mostrando quem manda, dando uma bronca em um membro da equipe técnica, quando o som não estava do jeito que ela queria (mas agarrando carinhosamente o mesmo rapaz com cara de apavorado, antes dele sair de cena).

O DJ set, em si, constou de música eletrônica dançante permeada por letras picantes. De sucessos “cantáveis” dela, apenas “Boys Wanna Be Her” figurou no setlist. De resto, as batidas serviram de sonorização para um espetáculo visual divertido e esquisito, assim como ela. Banhos de espumante na plateia, figurinos criativos, exóticos e picantes (destaque para o adorno que pescoço que ela usou no começo, que tinha diversos seios pendurados) e duas dançarinas roubaram o show, assim como a mais nova expressão favorita da artista canadense: “as mina pira”.

O espumante veio em dois momentos e refrescou o frontpit apinhado, mas aqueceu os ânimos. As dançarinas/intérpretes, Ginger e Pepper, interpretaram uma amazona (sexy), uma cheerleader (safada), uma dominatriz (adivinha?), entre outros papeis do tipo. O final da performance é com as duas interagindo com Peaches e fazendo stripteases solo, sendo que Pepper termina o dela só de calcinha.

Mas a parte mais divertida mesmo foi saber o que Peaches aprendeu a falar no Brasil. O refrão injetado em uma de suas batidas foi “as mina pira”, cantado animadamente por uns bons minutos, por ela e pelo público, e que apareceu em alguns outros momentos pontuais de outras músicas.