Mini-episódio de Sherlock indica o retorno do maior detetive do mundo; assista

Série retorna para a terceira temporada em janeiro de 2014, com Benedict Cumberbatch e Martin Freeman

Rolling Stone EUA Publicado em 25/12/2013, às 16h08 - Atualizado às 17h43

Sherlock - série
Divulgação

Atenção: o texto abaixo pode conter spoilers

A série Sherlock realmente sabe como fazer um retorno triunfal. O aclamado programa se prepara para voltar em janeiro para a terceira temporada e, para aumentar ainda mais a ansiedade dos fãs, a BBC acabou de lançar um enigmático mini-episódio online. Ele rastreia o retorno do brilhante detetive vivido por Benedict Cumberbatch de um túmulo que, como podemos deduzir, nunca foi preenchido.

Transitando pela TV e em blockbusters, ator britânico Benedict Cumberbatch coleciona elogios.

“Many Happy Returns” dá sequência ao episódio “The Reichenbach Fall”, que encerrou a segunda temporada em janeiro de 2012, na qual Sherlock fingiu um suicídio, em Londres. Agora, anos depois, uma misteriosa loira traficante de drogas é descoberta entre monges – um encontro tão surpreendente que é atribuído a Holmes, ou pelo menos assim insiste dizer o detetive Anderson (Jonathan Aris), ao tentar convencer o inspetor Lestrade (Rupert Graves) de que o personagem que dá nome ao seriado não está morto, afinal.

Anderson ainda aponta outros dois casos – incluindo um assassinato envolvendo um sorvete “solucionado” por um inspetor de Nova Deli – seguindo uma linha de raciocínio de Holmes, sempre relutante em aceitar o crédito pelo feito. Ainda assim, Lestrade permanece convicto de que o detetive está morto, mesmo quando Anderson mostra uma trajetória no mapa, com casos milagrosamente resolvidos que segue diretamente para Londres.

Depois de terminar uma cerveja, Lestrade visita John Watson (Martin Freeman) e deixa com ele uma versão não editada de uma vídeo-mensagem feita pelo detetive no aniversário de Watson. Nela, nós finalmente vemos Sherlock, sem saber como dizer a Watson que ele não poderá ir à festa de aniversário do companheiro. A razão real: é porque haverão pessoas lá e Sherlock não possui habilidades sociais. “Então, como você quer que eu termine?”, pergunta Holmes. “Eu devo sorrir e piscar o olho? Eu faço isso às vezes. Eu não tenho ideia do motivo. Algumas pessoas parecem gostar. Isso me humaniza. Está bem, que seja.”

Martin Freeman, o Watson de Sherlock, chegou ao estrelado aos 42 anos. Nesta entrevista, ele fala sobre atuar com chroma key, em O Hobbit, e o uso do humor dos irmãos Coen em Fargo, estreia dele na TV norte-americana.

Depois de insultar o amigo da forma mais doce possível, nós vemos a mensagem de Sherlock, na qual ele promete, por fim: “Não se preocupe, eu estarei com você em breve”. Watson então é distraído pelo toque do telefone. Como termina o vídeo? Holmes sorri e pisca, é claro.

20 anos da internet: veja dez filmes sobre a web.

Graças a Sherlock, Cumberbatch viu o valor de suas ações na bolsa Hollywood aumentarem significativamente nos últimos anos. Mais recentemente, ele dublou o dragão que dá nome ao filme O Hobbit: A Desolação de Smaug, viveu o nefasto John Harrison, em Além da Escuridão - Star Trek, e Julian Assange, em O Quinto Poder. Há alguns meses, o diretor Guillermo del Toro disse que gostaria de contar com o ator para a sua nova adaptação de Frankenstein.

Os dez maiores vilões de Star Trek.

A terceira temporada de Sherlock irá ao ar no dia 19 de janeiro, na PBS. O programa será emparelhado, oportunamente, com o quinto ano de Downton Abbey, série dramática de grande sucesso da BBC.