"A moda é a repetição cíclica do desejo", diz Fause Haten

Estilista brasileiro falou à Rolling Stone Brasil durante o VMB 2011 na última quinta, 20

Redação Publicado em 21/10/2011, às 15h13 - Atualizado às 15h27

Fause Haten
Foto: Kelly Fuzaro/Argosfoto

O estilista e agora músico Fause Haten falou à Rolling Stone Brasil na última quinta, 20, durante o VMB 2011. Fause falou sobre seu disco, CDFH, e da relação da moda com a música.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

"Essa história das roupas é legal. A gente ter a nova forma de se vestir, porque tem um jeito de se vestir que mistura tudo", disse o estilista. "É muito legal que não tem o barato e o caro ou o bonito e o feio. Você vê uma menina incrível usando um vestido de não sei quantos milhões, um coturno, um brinco de camelô e aquilo que eu acho mais importante, a personalidade."

Sobre CDFH, Fause declarou não ter pretensões de reconhecimento do álbum, tendo sido elaborado como algo para satisfazer aos seus próprios desejos. "Acabei compondo, fazendo isso como uma necessidade de artista, pessoal", revelou Fause. "Não fiz isso com esta história de ‘vou ficar famoso, ganhar um prêmio’. Mas claro, vou ficar feliz se ganhar um prêmio. Um dia eu comecei a fazer roupa e não sabia se isso ia virar uma carreira. Da mesma maneira, comecei a fazer música e não sei se vai virar uma carreira."

Abordado sobre as mudanças no formato do VMB, ele disse que a música, assim como a moda, está em constante mutação. "A moda é a repetição cíclica do desejo", disse. "E, hoje em dia, como vivemos num mundo de consumismo, virou uma máquina desenfreada de gerar desejos. Eu acho que a moda muda, mas de fato você não vê grandes mudanças, existe uma mudança natural. É normal que uma banda que naquele momento tenha sido descoberta e todo mundo esteja com aquele desejo, seja a mais cultuada daquele momento."

Leia também