Monsters of Rock 2015: em viagem musical aos anos 1970, Rival Sons apresenta hard rock virtuoso

Jay Buchanan, vocalista do grupo, demonstrou potência vocal durante show

Thiago Neves Publicado em 25/04/2015, às 15h57 - Atualizado às 18h18

Rival Sons faz show animado no Monsters of Rock 2015.

Ver Galeria
(8 imagens)

Antes de subirem ao palco do Monsters of Rock 2015 verdadeiras lendas do gênero como Motörhead, Judas Priest e Ozzy Osbourne, os fãs puderam ouvir a releitura proposta pelos californianos do Rival Sons da celebrada sonoridade dos anos 1970. Com grande alcance vocal e longos solos de guitarra, o grupo não poupou esforços para conquistar a exigente plateia do festival, que acontece neste sábado, 25, na Arena Anhembi.

Abrasileirado, Primal Fear exibe potência de quase 20 anos de carreira.

Ainda sob sol forte, o grupo avisou que estava em cena “para tocar rock & roll”, segundo as palavras de Jay Buchanan, vocalista da banda. O riff inicial de “Eletric Man”, faixa escolhida para abrir a performance, ainda teve de conviver com certo desinteresse do público. Entretanto, quando Buchanan apresentou, na primeira oportunidade, toda a potência vocal dele, o Rival Sons foi ganhando, aos poucos, os olhares da plateia.

Sob sol forte, latinos do De La Tierra dão abertura digna ao festival.

A cada música, o vocalista Buchanan e o guitarrista Scott Holiday introduziam o grupo em longas jam sessions, que valorizaram o virtuosismo de ambos. Depois de “Pressure and Time” e “Torture”, banda e plateia pareciam ter entrado em interessante sintonia. À medida em que os solos de Holliday e os gritos de Buchanan se repetiam, os fãs pareciam aceitar cada vez mais a proposta de um grupo que carrega referências que vão do hard rock ao folk, passando por intervenções do tecladista convidado Todd Ögren-Brooks - que não escondeu a forte ascendência do blues.

Monsters of Rock 2015: representante do new metal, Coal Chamber se esforça para agradar, mas soa deslocado no line-up.

O inquieto Buchanan foi uma atração à parte. Além de não economizar as cordas vocais, o cantor interagiu com os fãs em português e dançou o tempo todo. Depois da romântica “Where I`ve Been”, única faixa que sem acréscimo de uma jam, o grupo emendou a sequência que incluiu “Guess What`s Coming”, “Open My Eyes” e “Keep on Swiging”. Ao se despedir, o vocalista agradeceu a paciência dos desabituados ouvintes e, gritando, disse,“obrigado, São Paulo”, em compreensível português.

O Monsters of Rock 2015 acontece na Arena Anhembi, em São Paulo, nos dias 25 e 26 de abril. A Rolling Stone Brasil está acompanhando o festival e faz a cobertura completa no site, Twitter, Facebook e Instagram.