Morre Aldir Blanc, um dos maiores compositores e escritores brasileiros, aos 73 anos, vítima do Covid-19

O parceiro de João Bosco em faixas como "O Bêbado e a Equilibrista" estava internado no Hospital Universitário Pedro Ernesto, Zona Norte do Rio

Redação Publicado em 04/05/2020, às 11h51

None
Aldir Blanc (Foto: Facebook / Reprodução)

O poeta e compositor Aldir Blanc, conhecido por músicas como "O Bêbado e a Equilibrista", eternizada na voz de Elis Regina, morreu na madrugada desta segunda, 4, no Hospital Universitário Pedro Ernesto, na Zona Norte do Rio de Janeiro, vítima do novo coronavírus. Ele tinha 73 anos. 

+++LEIA MAIS: Madonna fura isolamento e vai à festa depois de dizer que tem ‘anticorpos contra o coronavírus’

A notícia foi confirmada pela assessoria do compositor. Em 10 de abril, Blanc deu entrada na Coordenação de Emergência Regional (CER) do Leblon com um quadro grave de infecção urinária, pressão alta e pneumonia. 

Cinco dias depois, ele conseguiu um leito na rede pública de saúde do Rio com a ajuda de amigos e artistas, sendo transferido para o Hospital Pedro Ernesto. Lá, ele apresentou sinais de melhoras, mas, segundo o portal G1, ainda o mantiveram sedado.

Parceiro de longa data do também compositor João Bosco, Aldir Blanc fez sucesso nos anos 1970, co-escrevendo músicas como "Bala com Bala", "Mestre-Sala dos Mares", "De Frente Pro Crime" e "Caça à Raposa". Outros sucessos de sua carreira incluem "Amigo é Pra Essas Coisas", do MPB-4, e "A Viagem", do Roupa Nova.

Um dos maiores compositores da MPB, Blanc deixa para trás músicas que fizeram parte da vida dos brasileiros. "O Bêbado e a Equilibrista", por exemplo, marcou o declínio da ditadura militar.

 

 


+++ RUBEL | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL