Morre aos 56 anos Grant Hart, baterista do Hüsker Dü

Músico compôs grandes sucessos da banda norte-americana, como “Diane”, “Pink Turns to Blue” e “Turn on the News”

Rolling Stone EUA Publicado em 14/09/2017, às 11h44 - Atualizado às 19h27

Grant Hart, baterista do Hüsker Dü
Associated Press

Grant Hart, baterista e vocalista da banda de rock alternativo Hüsker Dü, morreu nesta quinta-feira, 14. Ele já havia sido diagnosticado com câncer. A notícia foi confirmada por Bob Mould, colega de banda dele, em uma publicação no Facebook.

“A trágica notícia da morte de Grant não foi inesperada para mim”, escreveu. “Minhas mais profundas condolências e pêsames à família, aos amigos e aos fãs de Grant em todo o mundo. Grant Hart era um talentoso artista visual, um maravilhoso contador de histórias e um músico maravilhoso. Todos que foram tocados por seu espírito nunca esquecerão dele.”

Os 40 Maiores Álbuns Punk de Todos os Tempos

Carreira

Hart formou Hüsker Dü — que em dinamarquês significa “você se lembra?” — no final dos anos 1970 ao lado do vocalista e guitarrista Bob Mould e do baixista Greg Norton.

Mould foi responsável pela maioria das letras dos primeiros álbuns do grupo, Everything Falls Apart (1983) e Zen Arcade (1984). Mas isso não impediu que Hart escrevesse grandes sucessos do Hüsker Dü como “Statues”, “Wheels”, “What Do I Want?”, “Diane”, “Pink Turns to Blue” e “Turn on the News”.

O Hüsker Dü desafiava os padrões da cena hardcore dentro e fora da música. Hart normalmente era chamado de “hippie”, em razão do cabelo longo e do hábito de tocar bateria descalço. Enquanto isso, Mould era assumidamente gay e o baterista trazia parceiros masculinos com frequência para as turnês.

Ao longo dos oito anos de carreira, a banda lançou seis discos de estúdio, sendo Warehouse: Songs and Stories (1987) o último. Ainda que o vício em drogas de Hart tenha sido colocado como o principal motivo para o fim do grupo, os problemas entre ele e Mould e o suicídio de David Savoy, empresário do Hüsker Dü, na véspera do lançamento de Warehouse, também culminaram na dissolução da banda.

Hart lançou carreira solo em 1989, com o LP Intolerance. Depois, ele formou a banda Nova Mob, que lançou dois discos, The Last Days of Pompeii (1991) e Nova Mob (1994). Em 1999, ele retomou os trabalhos sozinho com o álbum Good News for the Modern Man. O último disco de estúdio solo foi The Argument (2013).

Em 2004, Hart e Mould se reuniram em um show beneficente para arrecadar fundos para Karl Mueller, baixista do Soul Asylum, que havia sido diagnosticado com um câncer de garganta. A apresentação marcou a primeira vez que os dois tocaram juntos em 16 anos.

“Nós fizemos músicas incríveis juntos”, Mould escreveu no tributo dele a Hart. “Nós (quase) sempre concordávamos em como apresentar nosso trabalho para o mundo. Quando brigávamos pelos detalhes, era porque ambos nos importávamos. A banda era nossa vida. Foi uma década incrível. Eu sinto a sua falta, Grant. Fique com os anjos.” Leia a publicação completa (em inglês) abaixo.