Morre aos 87 anos o alemão Günter Grass, Prêmio Nobel de Literatura

Atuante desde a poesia até as artes gráficas, ele ganhou notoriedade como escritor com O Tambor, de 1959

Redação Publicado em 13/04/2015, às 12h09 - Atualizado às 13h07

Escritor em evento de divulgação de livro, em 2006, em Berlim
AP Photo/Fritz Reiss

Morreu nesta segunda-feira, 13, aos 87 anos, o alemão Günter Grass, reconhecido pela prolífica atuação no mundo das artes, da poesia à escultura e arte gráfica, consolidando-se especialmente como escritor e vencedor do Prêmio Nobel de Literatura.

Banidos, proibidos e queimados na fogueira

Grass morreu em um hospital na cidade de Lübeck, Norte da Alemanha, e a causa da morte não foi divulgada.

Morre o escritor uruguaio Eduardo Galeano aos 74 anos.

Líderes alemães expressaram o pesar com a notícia, entre eles a chanceler Angela Merkel, que escreveu: “Günter Grass acompanhou e moldou a história da Alemanha pós-guerra com seu engajamento artístico, social e político”.

O primeiro grande sucesso do escritor foi O Tambor, de 1959. Quarenta anos depois, ele recebeu o Prêmio Nobel por este trabalho e pelo conjunto da obra.

Ele provocou polêmica em 2006 ao admitir, em autobiografia, ter ingressado na SS, unidade de elite do exército nazista, em 1944, aos 16 anos, e se defendeu dizendo que à época não tinha dimensão do que se tratava a SS.

A Segunda Guerra Mundial foi um tema recorrente da obra de Grass, que garantiu nunca ter dado um tiro sequer, “não por mérito”, mas por ter entrado tarde no conflito.